Foi-se o tempo em que envelhecer era sinônimo de melancolia e solidão. Quem ainda acredita que a terceira idade está restrita a cadeiras de balanço, agulhas de tricô e partidas de gamão não conhece a vida do idoso contemporâneo.

Uma pesquisa divulgada este mês pelo Programa de Novas Dinâmicas do Envelhecimento aponta que os brasileiros estão mais felizes quando chegam na terceira idade.

Segundo o estudo, realizado por pesquisadores ingleses entre os anos de 2002 e 2008, a maioria dos idosos brasileiros se considera “satisfeita” ou “muito satisfeita” com suas condições de vida, com o respeito que recebem dos familiares e com o relacionamento mantido com outras pessoas.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados do Censo Demográfico 2010 apontam que a população idosa no País cresce, enquanto diminui o número de jovens com até 25 anos. E esse crescimento parece mesmo ser uma tendência.

Uma pesquisa do Banco Mundial prevê que em 2050 o número de brasileiros com mais de 65 anos deve saltar dos atuais 20 milhões para 65 milhões – ou seja, será três vezes maior. “Hoje estamos envelhecendo cada vez mais e melhor. Isso se deve a diversos fatores, como melhoria da qualidade de vida e avanço da medicina”, destaca Rita Khater, professora de Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Campinas.

Continue lendo…

Bookmark and Share

A Yanko Design desenvolveu a Power Socket Switch, uma tomada que conforme sua posição permite ou não a passagem de energia para fazer seus aparelhos funcionarem. Ao conectar o plug na tomada, você deve girá-lo 45 graus para liberar o fluxo da corrente elétrica. Segundo o site, os aparelhos em Stand By representam 11% da nossa conta de energia.

O conceito da idéia é genial! E nos inspira a fazer melhor. Seria mais legal se a tomada pudesse ser girada ou ejetada (por aquele botão que fica interno quando o plug está conectado) sozinha por um sistema com temporizador ou por um comando externo.

Imagina se todo dia o sistema detectasse quando você sai de casa e desligasse todos os equipamentos que estão em stand by? Quando você voltasse para casa e quisesse usar aquele aparelho, bastava girar ou colocar o plug de volta na tomada!

Fonte: Meu mundo sustentável

Bookmark and Share

O Índice de Custo de Vida da Classe Média (ICVM), medido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e Ordem dos Economistas do Brasil (OEB) subiu 0,26% em setembro, na comparação com agosto. No ano, o índice acumula alta de 4,3%.

De acordo com o levantamento, divulgado nesta segunda-feira (24), os gastos que tiveram maior impacto na passagem do mês foram os relativos a habitação, que registraram alta de 0,29%, e alimentação, que apontaram aumento de 0,20%.

Quanto à habitação, os destaques são os gastos com aluguel, produtos de limpeza e conta de celular. Respectivamente, as altas foram de 0,52%, 0,77% e 1,75% sobre o mês anterior. O aumento foi maior entre os alimentos. O preço do filé mignon subiu 5,85%, da picanha, 3,67% e das carnes de aves, 3,98%.

Feijoada mais salgada

Segundo a Fecomercio, a feijoada também está mais cara. Em setembro, quase todos os componentes do tradicional prato brasileiro tiveram os preços reajustados. O preço do arroz subiu 2,87% e o do feijão, 3,73%. O toucinho defumado, os pertences da feijoada e a carne seca ficaram, respectivamente, 0,44%, 0,68% e 2,47% mais caros.

Entre os acompanhamentos, só a laranja ficou mais cara, 0,76%. A couve e a farofa ficaram 2,81% e 0,85% mais baratas, respectivamente. Os ingredientes da caipirinha, que costuma acompanhar a feijoada, também subiram. O preço da cachaça subiu 1,52%, do açúcar, 2,37%, e do limão, 20,98%.

Também tiveram variações positivas os gastos com transportes (0,08%), despesas pessoais (0,13%), vestuário (0,78%), saúde (0,66%) e educação (0,04%).

Fonte: G1

Bookmark and Share

Não estamos falando de mudanças caras, como instalar banheiro ou cozinha novos. Trata-se de arrumar e acrescentar um novo artigo aqui e ali para dar à sua casa uma aparência mais imponente. Conhecida como cenografia doméstica, a idéia originou-se nos Estados Unidos. Você pode despertar interesse – e conseguir um preço mais alto – fazendo algumas mudanças para tentar o possível comprador.

De acordo com Steve Kerslake, especialista em cenografia doméstica do Reino Unido, você deve “identificar que tipo de pessoa estaria mais propensa a comprar a sua casa e, a seguir, ressaltar como o imóvel talvez lhe fosse adequado. Um exemplo é o de um casal idoso que quer vender uma propriedade depois de 30 anos na mesma casa.

Talvez estejam usando um dos quartos como escritório. Nós diríamos, coloque uma cama de volta. É possível que uma família que tem filhos esteja à procura de uma casa maior. Ela precisa ver que os cômodos são espaçosos como quartos”.

E é claro que você pode fazer a sua “cenografia doméstica”, mas talvez prefira contratar alguém para fazê-la. Um “cenógrafo doméstico” profissional pode propor idéias de design, recomendar decoradores ou jardineiros, mudar móveis de lugar e até mesmo supervisionar o processo.

Muitas vezes eles compram acessórios como vasos e porta-retratos em seu nome. O custo de uma “cenografia” profissional pode lhe parecer alto, mas você poderá ter quase todo o seu dinheiro de volta com o aumento do preço da venda – e é capaz de querer ficar com alguns dos artigos que comprou durante a elaboração da cenografia. (Fonte: Dicas Secretas – Reader’s Digest)

Bookmark and Share

O Impostômetro, medidor eletrônico de arrecadação tributária mantido em São Paulo pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), atingiu nesta sexta-feira (7) por volta do meio-dia a marca de R$ 1,1 trilhão em impostos federais, estaduais e municipais pagos pelos brasileiros desde o começo do ano.

De acordo com a ACSP, o valor foi contabilizado 39 dias antes da data em que o mesmo montante foi alcançado em 2010, no dia 15 de novembro. Nos anos anteriores o painel nem chegou a marcar esse valor.

O Impostômetro foi criado em 20 de abril de 2005 e o painel eletrônico que calcula a arrecadação em tempo real está instalado na sede da ACSP, na Rua Boa Vista, na região central da capital paulista.
O total de impostos pagos pelos brasileiros também pode ser acompanhado pela internet na página do ‘Impostômetro’.

Fonte: G1

Bookmark and Share

Saiba como eliminar diversos tipos de manchas de uma maneira simples e rápida. Seguindo as instruções abaixo, você economiza tempo e dinheiro, além de evitar que suas roupas sejam danificadas por falta de tratamento adequado.

Batom
Esfregue um pouco de álcool no tecido manchado antes de lavar.

Bebidas Alcoólicas
Em geral, essas manchas saem com éter. Depois, enxágue com água.

Bolor
Ferva o tecido manchado numa água contendo um pedaço de couro de bacalhau ou use a própria água em que o bacalhau foi fervido.

Café
Lave com água morna e glicerina.

Caneta esferográfica
Manchas de esferográfica saem se esfregarmos ligeiramente com leite azedo ou com uma mistura de leite e vinagre. Repita a operação várias vezes.

Carvão
Esfregue um pedaço de miolo pão fresco.

Coca-cola
Se deixar cair algum líquido na roupa, como coca cola, tire-a com água fria. A água morna vai fixar a mancha.

Ferro de passar
O ferro muito quente deixa uma marca amarelada e feia no tecido. Quando isso acontecer, passe água oxigenada sobre a parte afetada e lave em seguida com água.

Ferrugem
Coloque sal sobre o tecido manchado, pingue algumas gotas de limão, deixe secar sob o sol e depois lave.

Frutas
Coloque leite fervente sobre a mancha e deixe até o dia seguinte. Lave.

Gordura
Se algum tecido ficar com manchas de gordura, experimente colocar um papel absorvente embaixo da mancha e passar com ferro bem quente.

Graxa
A margarina vegetal ajuda a tirar manchas de graxas. Coloque um pouco sobre a sujeira, deixe por alguns minutos, depois lave normalmente com água e sabão.

Máquina de lavar
Você não prestou atenção e uma peça de roupa escura manchou sua roupa na máquina de lavar. De preferência, não a deixe secar com a “nova cor”. Coloque-a em água com um pouco de sabão em pó, numa panela e dê uma fervida, rápida.

Mofo
Mancha de mofo nos tecidos sai fervendo a peça em uma solução de água e bicarbonato de sódio, na proporção de 4 colheres de chá por litro de água.

Ovo
Lave com água fria, não use água quente que vai fixar ainda mais a mancha. Antes de lavar, use uma pasta de sal (sal com gotinhas de água) sobre a mancha.

Tinta a óleo
Manchas de tinta a óleo, devem ser limpas com solvente ou aguarrás, gasolina ou benzina.

Facilitador geral
Sal ajuda a tirar a maioria das manchas. Na dúvida, antes de usar qualquer produto para tirar manchas no tecido, passe um pouco de sal para facilitar a retirada.

Fonte: Organize sua vida

Bookmark and Share

Se daqui para frente você ouvir alguém reclamando que “meu apartamento é um ovo” ao afirmar que mora em um lugar muito pequeno, você poderá recomendar a alternativa de se mudar para esta casa!

Ela foi criada pelo estúdio Goldenhen, com sede na Austrália. Foi totalmente construída com caixas de ovos, que são coloridas e depois montadas umas sobre as outras para dar forma à fachada da casa.

Talvez músicos se perguntem se ela teria bom isolamento acústico, já que não são poucos os que preferem usar as caixas de ovos para forrar as paredes do quarto para poder tocar guitarra ou outro instrumento.

De qualquer modo, a frente da casa foi produzida em tamanho real, como parte do projeto chamado por eles de “O Sonho Original” (The Original Dream). Apenas uma base de madeira é empregada para firmar as caixas de ovos.

 

Fonte: Greenstyle

Bookmark and Share

O home office veio para ficar. Ter um cantinho de escritório dentro de casa é tão fundamental hoje em dia quanto ter uma boa sala para assistir TV com conforto. E em espaços cada vez menores, o velho escritório, separado da área social, integra-se com a sala de estar e fica aparente para todo mundo. Mas como organizar esse espaço sem prejudicar o resto da decoração? Veja abaixo as dicas para ter um home office bacana e muito prático.

Dois em um
A internet mudou nosso modo de vida. E dentro de casa não é diferente. Muita gente passa as noites conectada com a rede com notebooks, iPads e celulares. Lembro bem da minha adolescência quando as famílias tinham um só computador em casa, com internet discada e monitor gigante. Geralmente, tínhamos um quartinho com móvel planejado para abrigar a CPU e todos os acessórios de informática. Um show de horror! Mas a tecnologia deixou tudo mais barato, mais simples e mais bonito. Ter um escritório fechado para o computador é coisa do passado.

Continue lendo…

Bookmark and Share

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva do Crédito ao Consumidor registrou queda de 0,2% em agosto, atingindo o patamar de 101,0. Segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (3), essa foi a primeira queda após sete meses consecutivos de variações mensais positivas ou estáveis.

Apesar do recuo em agosto, o indicador ainda permanece acima do nível 100, sinalizando que o crédito ao consumidor deverá continuar crescendo ao longo dos próximos meses, ainda que em uma rtimo menos acelerado do que o observado em 2010, “devendo ser pouco afetado pelo agravamento da crise financeira mundial”, disse a Serasa, por meio de nota.

“As perspectivas de normalização, a partir do final deste ano, das altas dos níveis de inadimplemento das pessoas físicas e a inauguração de um novo ciclo de relaxamento monetário (redução da taxa Selic), contribuirão para manter em rota de crescimento sustentável o ritmo de concessões de crédito aos consumidores”, informam os economistas da Serasa Experian.

Para empresas
Nesta segunda, a Serasa ainda divulgou o Indicador Serasa Experian de Perspectiva do Crédito às Empresas. O recuo do índice foi de 0,4% em agosto – a nona queda mensal consecutiva, atingindo o valor de 99,4. “A atual trajetória de queda do indicador sinaliza que o processo de desaceleração das concessões de crédito às empresas ainda predominará no curto prazo.”

De acordo com os economistas da Serasa, o cenário de crescimento mais moderado da economia, o enfraquecimento das economias mundiais seguirão exercendo impacto negativo sobre a procura por crédito pelas empresa, que deverá crescer em ritmo mais lento nos próximos meses.

Fonte: G1

Bookmark and Share

Há mais de 130 anos, um senhor de nome Thomas Alva Edison, nascido em um vilarejo do estado norte-americano de Ohio, mudaria para sempre a vida das pessoas. Ele foi um verdadeiro gênio, que patenteou mais de mil invenções durante sua vida e que após muitas tentativas chegou ao encontro da lâmpada elétrica.

Não foi ele o criador, mas foi o primeiro a fazê-la permanecer acesa por bastante tempo, naquela época, por monstruosas 40 horas. Era um filamento de algodão parcialmente carbonizado dentro de um bulbo de vidro com vácuo, que se aquecia com a passagem de corrente elétrica até ficar incandescente. Nascia então a primeira lâmpada incandescente.

Mal sabia Thomas Edison que sua experiência se tornaria um problema no início do século 21. Com a constante preocupação em relação ao meio ambiente, as lâmpadas incandescentes se transformaram em vilãs, principalmente pelo alto índice de consumo de energia e pelos materiais que é produzida, muito danosos ao meio ambiente. Mas por que então as pessoas ainda usam essas lâmpadas?

Continue lendo…

Bookmark and Share