Quem é que não gosta de ter uma casa aconchegante e bem decorada? Os tapetes são peças que fazem bem esse papel ajudando a dar um toque especial ao lar, mas para mantê-los sempre limpos e bonitos são necessários alguns cuidados, principalmente quando se trata de manchas causadas por acidente.

mancha-tapete1

Muita gente se desespera ao derramar algo no tapete e não sabe como agir para evitar que o estrago da mancha seja ainda maior. E quem tem filhos em casa sabe: não há tapete que resista aos pingos de suco, farelos de alimentos e riscos de canetinha, apenas para citar parte dos males que podem atingir em cheio a peça que os pais tanto gostam. Se a situação soou familiar, saiba que o problema tem solução, mas para isso é preciso agir rápido e tomar algumas medidas para que a mancha não se espalhe ainda mais.

A primeira e mais importante dica é nunca utilizar o aspirador de pó para sugar ou secar a sujeira, pois isso pode aumentar a mancha. O procedimento inicial deve ser sempre retirar a sujeira que ainda permance na superfície utilizando papel toalha ou pano seco. Se a mancha for líquida, pressione com cuidado, absorvendo o excesso, e  evite esfregar para não comprometer ainda mais as fibras do tapete. Agora, se a mancha tiver sido causada por um produto sólido, como chocolate, tente raspar com auxílio de uma espátula ou colher, sempre fazendo movimentos da borda para o centro.

Concluída esta primeira etapa, é importante atentar para o tipo de mancha causada e adotar as medidas necessárias de acordo com cada caso. Para facilitar, separamos abaixo os cinco tipos mais perigosos para o seu tapete.

Urina – Quem tem bichos de estimação como cães e gatos dentro de casa sabe que existe o risco de sujar o tapete.

De acordo com José Carlos Larocca, presidente do Sindilav – Sindicato das Lavanderias do Estado de São Paulo, esta é a mancha mais difícil de ser retirada. “Por ter uma composição ácida, a urina pode causar uma mancha que pode alterar a tonalidade da fibra. O ideal é agir rápido, no momento do acidente”, explica.

O conselho é  passar um pano úmido com uma pequena quantidade de detergente neutro ou tira manchas logo após do processo de retirada do excesso de líquido. Finalize com outro pano, desta vez embebido em álcool, o que pode ajudar a retirar o odor característico.

Vinho – Este tipo de mancha também é uma das mais difíceis, assim como outras substâncias que também possuem pigmentação como café, molho de tomate e catchup. Aplique algumas pedrinhas de gelo sobre o local da mancha e utilize um alvejante sem cloro para finalizar a limpeza, evitando assim que a maciez do tecido seja comprometida

Sangue – Para retirar manchas de sangue, Larocca recomenda também o uso de um produto específico para limpeza de tapetes à base de peróxido de hidrogênio. Aplique uma tampa da solução diluída em cerca de 300 ml de água sobre a mancha, utilizando com um algodão ou escova de cerdas macias para fazer uma leve fricção sobre a área atingida.

Chiclete – A dica para retirar o chiclete que ficou grudado no tapete é bem mais simples do que muita gente imagina. Larocca ensina: “Basta pegar uma pedra de gelo e passar pelo chiclete no tapete”. Assim que ele estiver congelando, se soltará facilmente.

Tinta de caneta – Utilize um pano úmido com álcool sobre a mancha. Se não resolver, aplique uma pequena quantidade de tira manchas, lembrando sempre que tapetes e carpetes necessitam de cuidados especiais por conta de seu tipo de composição e que, por isso, o ideal é utilizar produtos destinados à limpeza desse tipo de peça.

Outras sujeiras também são comuns, como gordura e marcas de sola de sapato. Neste caso vale adotar a receita básica: usar um pano úmido com detergente e alvejante sem cloro. José Carlos Larocca lembra ainda que muitas receitas caseiras incluem o uso de vinagre para retirar o manchado, mas este produto não é recomendado, pois pode provocar o desbotamento das cores do tapete.

Além do cuidado com as manchas, é muito importante realizar uma higienização frequente para deixar os tapetes livres de poeira e outras sujeiras que vão acumulando diariamente. Para a lavagem, utilize um xampu próprio para tapetes e carpetes – que é facilmente encontrado nos mercados. O aspirador é outro grande aliado na manutenção da peça e deve ser utilizado pelo menos duas vezes por semana.

Fonte: Delas

Bookmark and Share

Antes, a indústria de colchões dizia para você trocar o seu colchão a cada 8 a 10 anos e, ultimamente, dizem para trocar a cada 5 a 7 anos. Você é quem melhor decide qual a hora de trocar seu colchão nessa escala de tempo. Sua decisão deve ser baseada principalmente no seu conforto, mas pense em outros aspectos também.

Condição do seu colchão

Se seu colchão parece velho, ele provavelmente está velho e deve ser trocado. Se ele tiver alguma depressão ou se dobrar no meio ou nos lados, está velho. Quando você se senta no lado da cama, seu colchão amassa ou te suporta? Se amassar, ou se você sentir as molas quando deitar ou se ver as molas saindo para fora do colchão, existem sinais para trocá-lo. Qualquer rangido ou instabilidade quando você se vira na cama é um sinal de que deve ser comprado um novo colchão.

Mudanças no seu estilo de vida

Algumas vezes, uma mudança de estilo de vida pode garantir a compra de um novo colchão. Você pode começar a dormir mais ou menos. Você pode ter começado a sentar na cama para ler ou trabalhar em um laptop. Se são duas pessoas usando o colchão, leve em conta quaisquer mudanças no estilo de vida do seu parceiro que podem acelerar a troca do colchão. Mudar-se também pode desgastar o colchão e diminuir sua vida útil.

Mudanças no seu corpo

Nossos corpos mudam com o tempo, e isso afeta a longevidade do seu colchão. Se você ganhou ou perdeu peso, isso pode aumentar ou diminuir o tempo no qual seu colchão te suportará apropriadamente. Gravidez também desgasta o colchão, assim como crianças pulando na cama. Algumas vezes, nossos corpos nos dizem quando é hora de trocar o colchão. Seus braços não devem “dormir” ou formigar durante a noite. Se você está com dor nas costas, pode ser culpa de um colchão velho.

Seu conforto

ocê não deve procurar um ponto confortável no colchão antes de ir dormir. Mais importante que isso, você deve acordar sentindo que teve uma boa noite de sono. Mesmo se não houver nenhum dos avisos que dizem que é hora de trocar o seu colchão, você pode se surpreender com o conforto de um novo. Você pode preferir um colchão mais mole ou duro que o último que comprou.

Dicas

Vire o seu colchão frequentemente para aumentar a sua vida útil. Quando fizer isso e quando trocar seus lençóis, olhe bem seu colchão e avalie a sua condição. Também olhe a sua cama. Quando trocar seu colchão, você também pode querer uma cama nova.

Fonte: eHow

Bookmark and Share

Vira e mexe e o ralo entope. Na cozinha, devido a pequenos pedaços de alimentos, gordura e óleo. No banheiro, o problema são cabelos, pelos e restos de sabonete. As soluções comumente encontradas no mercado passam por produtos químicos potentes que, apesar de resolverem o problema, contribuem muito para a poluição, principalmente se a sua cidade não tiver programa de tratamento de esgoto.

Uma solução ecoeficiente e rápida é fazer uma receita que é tiro e queda na prevenção ao entupimento de ralos. Vamos a ela:

Ingredientes

-1/2 copo de bicarbonato de sódio;
-3,5 litros de água;
-1 xícara de vinagre branco;
-1/2 limão espremido.

Modo de preparo

Primeiro jogue meio copo de bicarbonato de sódio pelo ralo. Depois, misture uma xícara de vinagre branco com o meio limão espremido. Despeje a mistura pelo ralo depois do bicarbonato de sódio. Espere por mais cinco minutos e coloque os 3,5 litros de água quente no ralo. A água vai lavar a mistura, deixando seu ralo limpo.

Funcionamento

O bicarbonato de sódio é um químico alcalino que vai quebrar as partículas de gordura que existem na tubulação do ralo. O vinagre é um ácido que vai fazer fazer com que o bicarbonato de sódio espume, facilitando a ação do químico em toda a tubulação. Faça uso periodicamente desta receita na prevenção de entupimentos. Ela garantirá que não haja um acúmulo de resíduos em sua tubulação e que uma condição irreversível ocorra.

A importância de se limpar o ralo com frequência e de substituir produtos químicos por outros mais ecológicos se reflete no Brasil, por exemplo, na questão dos rios da cidade de São Paulo. Há 40 anos se debate uma solução para tal problema e, até hoje, houve apenas uma pequena melhora. Muita dessa poluição provém de resíduos residenciais, como inseticidas, detergentes, soda cáustica, entre outros.

Fonte: Vida Organizada

Bookmark and Share
As dicas de ouro estão presentes em algumas postagens que publico aqui, são dicas bem simples e que fazem muito a diferença no dia a dia.
Para seus sapatos de couro ficarem sempre com cara de novos, com uma esponja macia, pingue de três a quatro gotas de óleo de amêndoas e passe um pano seco e macio antes de guardá-los, funciona experimente!
Para evitar o mofo em seu armário, passe um pano úmido com vinagre branco nas gavetas e prateleiras e deixe secar (muito bem), antes de guardar suas roupas.

Tire o cheiro desagradável da geladeira, limpando -a com um pano úmido e bicarbonato de sódio.

Para deixar suas pratarias e bijouterias brilhando sempre, basta mergulhá-las em água morna com algumas gotas de detergente líquido para louças e secá-las com um pano bem macio. Para suas jóias de ouro, faça igual e depois lustre a peça com um pano de camurça para manter o brilho.
Para quem tem cabideiro e quer pendurar suas calças em cabides,experimente usar cabides infantis, eles não são tão largos como os demais, e as calças não ficam escorregando para os lados, e o melhor, sobra um espaço extra debaixo das calças. Mas atenção, esta dica só dá certo para calças femininas.

Use sachês de lavanda nas suas roupas de cama, além de perfumar, espantam as traças. Faça você mesmo um sachê com manta acrílica, pingando algumas gotinhas de essência de lavanda envolvida em tecido de tule e fita para fechar.

Para motivar as crianças a jogar a roupa no lugar certo, instale uma cesta de basquete sobre o “depósito” de roupa suja.

Se você tem filhos
, registre em vídeo os aniversários e outros eventos importantes da vida das crianças.

Para você não esquecer dos seus compromissos, tenha sempre uma caderneta de anotações com você: escreva logo de manhã, a data no alto de uma página em branco. Durante o dia, anote qualquer coisa que precise lembrar: nome de pessoas, coisas a fazer, ideias, anotações de conversas telefônicas ou reuniões.

Truque para ganhar espaço na mala: guarde suas roupas em embalagens com fechamento à vácuo (space bags) dentro da mala, ficará super compacto e caberão mais coisas, só não se empolgue, pois isso não faz diminuir o peso dela.

Truque para desamassar suas roupas em viagens: Se você esqueceu de levar o ferro de passar roupas sem problemas, pendure a roupa amassada no banheiro, aproveitando o vapor do chuveiro. O vapor tende alisar o tecido, só não guarde logo em seguida, pois pode amarelar, deixe secar.

Se viajar e ficar em hotel, guarde os sapatos sujos dentro de toucas de banho oferecidos por eles.

Para tirar o encardido das meias das crianças, experimente fervê-las junto com uma rodela de limão.

Se você dispõe de pouco tempo para limpar a casa e não tem muita energia,priorize as tarefas mais importantes e execute-as com capricho, se preferir, escute suas músicas prediletas enquanto trabalha, ficará mais divertido e o tempo passará mais rápido.

Para evitar o desperdício dos produtos de limpeza, experimente colocá-los dentro de borrifadores (o mesmo que molhamos as plantas). Você espirrará o produto na medida certa, eu uso na minha casa e é muito bom!

Fonte: Organize sem frescuras
Bookmark and Share

Lavar bem a roupa não significa somente deixá-la limpa, más também macia e cheirosa. O ritual de arrumar a cama, de vestir uma roupa ou de deitar entre lençóis se torna muito mais prazeroso quando você sente o tecido tocar suavemente o corpo, como se fizesse um carinho na pele. E é simples fazer com que as roupas da família e da casa fiquem assim. Você só precisa dar alguns toques especiais na hora de lavar, passar e de guardar as peças. Hoje existe uma infinidade de produtos no mercado especialmente voltados para isso.

O uso correto desses produtos, e mais as dicas que você confere abaixo, vão deixar as suas roupas limpas, suaves e perfumadas. Confira!

-Os produtos usados no processo de lavagem da roupa – o detergente em pó e o amaciante – deixam perfume no tecido. A primeira regra é ver se o perfume de um não briga com o outro. E, claro, se o perfume final agrada a você e a sua família. Teste até encontrar aquela fragrãncia que agrade a todos.

-O amaciante cumpre duas funções básicas: amaciar e perfumar a roupa. Ele deve ser usado na medida recomendada pelo fabricante do produto ou na dosagem estipulada pelo fabricante na máquina de lavar, se você estiver lavando roupa na máquina. Lembre-se amaciante em excesso – assim como detergente em pó – além do desperdício, pode manchar a roupa.

-O ato de passar a roupa tem importância fundamental no cheirinho gostoso – ou não – que a peça vai ter. É que o calor ajuda a fixar o perfume deixado pelo amaciante, pelo detergente em pó ou pelo produto tipo passa-fácil nos fios do tecido. Para itensificar o cheirinho bom você pode acrescentar três gotas da sua essência preferida no passa-fácil ou então na água que é borrifada sobre a peça antes de passar a ferro.

-Coloque sachês perfumados no fundo dos armários e gavetas. O ideal é um sachê por gaveta ou prateleira. Prefira sachês suaves. Uma das fragrâncias que mais faz sucesso é a de alfazema. Se você não encontrar sachês para comprar, pode fazer o seu.É simples: em um pedaço de tule ou filó, coloque uma pequena porção da erva escolhida,desidratada, ou um algodão com três gotas de essência, ou ainda pedaços de sabonetes. Forme um saquinho, feche com uma fita e pronto. Quando o sachê perder o perfume, está na hora de trocar.

-Existem, também, os aromatizantes de lençóis, que são fragrâncias diluidas para você borrifar as roupas já nos armários e gavetas. Você mesma pode fazer o seu aromatizante. Em 1/2 litro de água, acrescente 5 gotas de essência ou 1 colher (chá) do seu amaciante preferido. Misture bem, coloque o líquido em um borrifador e pronto. Duas borrifadas por armário são suficiente.

Fonte: Dicas & Cia

Bookmark and Share

Basta andar pela sessão de higiene e limpeza dos supermercados para ver as inúmeras soluções que o mercado oferece para a dona de casa deixar sua casa limpa, protegida de bactérias e perfumada. Entretanto, na hora de fazer uma boa faxina e até mesmo na limpeza simples do dia a dia, muita gente ainda prefere utilizar o álcool acreditando em sua eficiência superior. A questão é polêmica, mas até que ponto vale a pena recorrer a um produto tão perigoso?

Os registros da utilização de álcool como produto de limpeza vêm desde a Idade Média. No Brasil, é usado há mais de 200 anos sobretudo em hospitais e serviços de saúde devido às suas propriedades antissépticas e potencialidades microbicidas e germicidas. Seu uso é tão popular que o Brasil é considerado um dos maiores consumidores de álcool para uso doméstico no mundo e um dos poucos onde a comercialização é permitida sem fiscalização ou controle.

Os tipos de álcool mais utilizados para limpeza são o etílico e o isopropílico. Ambos são antissépticos e desinfetantes, mas o álcool isopropílico é mais eficiente contra bactérias, enquanto o etílico é mais potente contra vírus. O álcool etílico possui água em sua composição e é comercializado facilmente nos supermercados a preços baixos, já o isopropílico é mais caro e tem sua comercialização restrita à farmácias de manipulação e lojas de hardwares, pois sua fórmula anidra, isto é, com pouquíssima água, é mais eficiente na limpeza de hardwares, pois evita a corrosão e a oxidação dos metais presentes nesses equipamentos.

O alerta para o uso do álcool consiste no fato de se tratar de um produto altamente inflamável que, quando inserido no uso doméstico para limpar a casa ou acender churrasqueiras, expõe adultos e principalmente crianças a queimaduras gravíssimas e riscos que podem ser fatais.

Os dados referentes a queimaduras em adultos e crianças são altíssimos, mas não são exatos. De acordo com o Ministério da Saúde, no ano de 2011 mais de 7.200 pessoas foram internadas em consequência de queimaduras causadas por produtos inflamáveis como álcool, gasolina, diesel, querosene, entre outros, e o uso indevido e o armazenamento inadequado dessas substâncias nas residências colaboram para o aumento desses dados.

Continue lendo…

Bookmark and Share

1 – Não misture roupas de uso pessoal com panos de prato ou de limpeza. Regra básica. Não é higiênico você misturá-las. Lave-as sempre separadas, pois os panos de prato geralmente têm gordura e podem passar para suas roupas pessoais. Os de limpeza estão em contato com produtos químicos mais fortes e podem causar alguma alergia ou danificar o tecido, caso suas roupas se misturarem com eles.

2 – Não misture roupas muito sujas com outras peças (por exemplo, as de crianças). Quem tem criança em casa sabe o que é uma roupa suja e uma roupa muito suja. Quando a sujeira da roupa é leve, às vezes apenas de cheiro de suor e poeira, quando se misturam com roupas muito sujas, que podem ter barro, correm o risco de mancharem, dificultando muito a lavagem e o processo de retirada das manchas.

3 – Não misture com roupas de cor com roupas brancas. Roupas coloridas podem soltar tinta. Se você misturar roupas de cor com roupas brancas, provavelmente as coloridas irão manchar as brancas. E o tempo para ficarem de molho é diferente. As brancas devem ficar de um dia para o outro e as de cor, somente alguns minutos. Veja mais em Pré-lavagem.

4 – Não, ou melhor, nunca deixe de molho roupas de cor forte. Roupas de cor forte se ficam muito tempo de molho vão desbotar com certeza, e uma roupa desbotada fica com aparência de velha. Se a roupa tem cor forte, essa é sua cor de origem. Roupas que são naturalmente desbotadas já são compradas assim. Uma roupa que não tem essa característica originalmente, quando desbota parece velha. E você não vai querer que isso aconteça com as suas, certo?

5 – Não use sabão demais, só vai dificultar a lavagem. Achar que quanto mais sabão, mais limpa vai ficar a roupa é um engano. A medida certa é o ideal. As máquinas atuais têm medidores que acompanham. Então, não tem como errar. Na hora do balde ou bacia, use o bom senso. Coloque um pouco de sabão em pó, adicione a água e mexa até obter espuma. Aí está pronto para usar.

Fonte: Blog da Vovó

Bookmark and Share

A evolução dos eletrodomésticos os fez mais bonitos, potentes, práticos, rápidos e silenciosos, mas também os tornou, em muitos casos, menos amigáveis. Quem já não teve dúvidas de como operar uma máquina dessas ou mesmo se poderia ou deveria recarregá-la ou colocar num local específico da casa?

Para sanar as dúvidas e acabar com os mitos sobre os eletrodomésticos mais comuns da casa fomos atrás dos principais fabricantes do setor. Veja abaixo como tirar o melhor proveito dos aparelhos, economizar energia e fazê-los durar muito.

GELADEIRA

1- Posso secar roupas atrás da geladeira?
NÃO. As grades de trás da geladeira são dutos por onde passa o fluido que tira o calor de dentro do eletrodoméstico e o dissipa no ar, por isso elas esquentam. Quando você coloca roupas úmidas sobre esses dutos, está dificultando a dissipação do calor, o que diminui a capacidade de resfriamento e causa desgaste no refrigerador, diminuindo a vida útil do compressor (o motor) e aumentando a conta de energia.

2- Faz mal abrir a geladeira várias vezes ao dia?
SIM. Quando você abre a geladeira, o ar frio sai e entra calor. Como ela deve manter seu interior gelado, precisa trabalhar mais para esfriar o ar que entrou. Quanto mais vezes isso for feito, ou quanto mais ar quente entra (dependendo do período em que a porta fica aberta), mais cara fica a conta de energia.

3- É verdade que ovos guardados na porta do refrigerador estão sujeitos à salmonela?
NÃO. A não ser que a casca do ovo tenha alguma trinca ou furo, mesmo com a variação (que é bem pequena) de temperatura pela abertura da porta, os germes não conseguem penetrar a casca.

4- Guardar alimentos quentes na geladeira estraga o eletrodoméstico?
SIM. Se por um lado, para manter o interior do aparelho frio, ele vai sobrecarregar o compressor, consumindo mais energia, por outro, a vasilha quente trocará calor com outras vasilhas internamente, alterando o estado de conservação de outros alimentos.

5- Posso encostar a geladeira nos móveis ou na parede da cozinha?
NÃO. É necessário deixar espaço ao redor da máquina para a dissipação do calor. Tanto atrás com lateralmente, o espaço mínimo recomendado de distância da parede ou de outros móveis é de 35 cm.

Continue lendo…

Bookmark and Share

1. Sacos de Gelo

Coloque sacos preenchidos com 1/4 de água dentro dos sapatos, pressionando-os para dentro da parte do sapato onde aperta mais o seu pé. Deixe os sapatos no freezer ou geladeira. Retire-os quando a água virar gelo.

Leve os sapatos ainda com os sacos para um lugar com temperatura ambiente até que a água dos sacos derreta. Retire os sacos e seque os sapatos.

2. Álcool e papel

Aplique álcool ou água na parte interna dos sapatos. Complete com papel amassado, limpo e úmido. Aperte bem e aguarde 12 horas. Retire o papel e calce o sapato ainda úmido para tomar a forma do pé.

3. Condicionador de Cabelo

Passe condicionador de cabelo na borda interior do sapato. Cuidado para não melecar a parte de fora – dependendo do material de que é feito o calçado pode manchar (como tecido ou camurça). Passe uma quantidade razoável, suficiente para cobrir toda a área interna da borda que está pegando no seu pé. Deixe descansar um dia (se estiver com pressa algumas horas já ajudam) e passe um pano seco para tirar o excesso. Não funciona para sapatos de plástico ou de material sintético.

4. Modeladores de Sapato

Utilize modeladores de sapatos que além de amaciar o couro, ainda proporcionam um cheirinho gostoso e conservam melhor os calçados.

Fonte: OZ!

Bookmark and Share

Há muito não vemos, pelo menos nas casas da cidade, um varal cruzando o quintal de muro a muro. Até porque hoje não se faz mais isso no quintal e sim na área de serviço ou lavanderia. Mas deixando o saudosismo de lado, fato é que o varal evoluiu muito na última década.

Quase não existe situação que não possa ser resolvida por algum modelo. As possibilidades são tantas que, em alguns casos, ajuda a solucionar até problemas arquitetônicos, isto é, quando a área de serviço está mal posicionada em relação ao entorno e não recebe vento nem tampouco sol. Nessa situação, entra em cena o varal de piso, que pode, em uma emergência, ser levado para a varanda gourmet ou até mesmo na sala.

Uma grande inovação foi em relação ao material. Anteriormente, os varais eram confeccionados em ferro com pintura emborrachada. Hoje podem ser de aço pintado, aço inox, alumínio anodizado ou com pintura eletrostática. Os de alumínio têm as varetas um pouco mais robustas e pedem pregadores especiais.

Quanto aos tipos, podemos dividi-los em dois: fixos, de teto ou de parede, e móveis. Os modelos de teto são: 1) o tradicional, com variação de largura de 1 m a 1,50 m por 50 cm, 6 varetas e cordas unidas e encaixadas em um gancho fixado na parede (É possível substituir esse gancho por uma manivela para facilitar a subida e descida do varal); 2) outro semelhante, mas com uma tela acima das varetas que possibilita a secagem de roupas que não podem ficar penduradas ou tênis; 3) e ainda, o modelo com o comando individual, com uma corda para cada vareta

Existe um produto não só com a possibilidade de descer as varetas uma a uma, mas também de regular a sua altura individualmente com uma argola que não fica presa à parede e sim na própria vareta. Essa solução ajuda na secagem das roupas penduradas, quando o varal não consegue ficar na situação perpendicular à janela ou ainda quando existe tanta janela e armário que não sobra espaço para o gancho que prende às cordas ser fixado na parede.

Esses varais com varetas individuais podem tanto ser fixados no teto como na parede. Mesmo quando o forro é de gesso é possivel instalar um varal. Para isso, basta utilizar hastes que ficarão entre a laje e o forro. Esse serviço é oferecido por empresas especializadas.

Continue lendo…

Bookmark and Share