De repente a temperatura caiu 15 graus e você se esqueceu de colocar as roupas de frio para lavar. O jeito é usá-las com aquele cheirinho desagradável de guardado. Agora que as temperaturas baixas deram uma leve trégua, é hora de cuidar disso antes de a próxima frente fria chegar e lavar malhas, casacos, cachecóis, luvas e gorros antes de usá-los novamente.

Roupa Guardada

É preciso tomar alguns cuidados na hora de lavar essas peças. Se houver bolor, a dica é umedecer com água e água oxigenada 10 volumes e colocar a peça para quarar ao sol. Já para o mofo, em tecido branco ou de cor resistente, mergulhe e deixe um pouco na água com água sanitária diluída. Em tecido de cor, umedeça com suco de limão. Em tecido sintético ou seda, molhe num banho de leite. Sempre leia antes as instruções de lavagem , contidas nas etiquetas das roupas, para não correr o risco de danificá-las. Peças de lã, por exemplo, não devem ser secas em secadora, pois, assim, podem encolher.

Se houver mofo dentro dos armários, é necessário tirar tudo de dentro deles e limpá-los. Prepare um solução com um litro de água para quatro colheres de sopa de vinagre e passe um pano umedecido nas parte internas dos armários. Deixe secar bem e só então recoloque de volta o que foi tirado. Os armários devem ficar abertos por cerca de uma hora todos os dias, principalmente se houver sol, para evitar que o mofo e a umidade se instalem nas roupas, que devem ficar em um espaço ventilado para evitar ácaros.

Até o próximo inverno

Quando o frio for embora, as peças podem ser guardadas em embalagens a vácuo, de maneira que fiquem protegidas da umidade e de traças. Outra opção são as capas de TNT, que permitem que as roupas fiquem ventiladas – ao contrário do plástico. Não há diferença entre guardá-las no armário, em caixas ou em malas, desde que se tome cuidados para prevenir o aparecimento do mofo. O primeiro deles é lavar as roupas antes de guardá-las, mesmo que aparentemente estejam limpas.

Para evitar que as roupas embolorem, o ideal é colocar produtos que absorvem a umidade, vendidos em supermercados. Outra dica de Heloisa é colocar cravos-da-índia no local onde as peças ficarão guardadas, para que elas fiquem com cheiro agradável. Barrinhas de cânfora e bolas de sândalo também evitam o cheiro de mofo, mas não podem ser usadas por pessoas alérgicas. Se você tem o costume de colocar sabonetes ou sachês com as roupas, lembre-se de trocá-los periodicamente.

Antes de guardar sapatos de inverno, a consultora pessoal também recomenda cuidados: engraxe-os, limpe as solas e coloque Lysoform em spray dentro. Deixe que sequem bem, de um dia para o outro, e então guarde-os em sacos de TNT, como os que vêm das sapatarias. Assim como as roupas, não os guarde em sacos plásticos, que impedem a ventilação, o que facilita o aparecimento do mofo.

Fonte: IG 

Bookmark and Share

Coceira no nariz e olhos, espirros, nariz entupido. Quem é alérgico conhece estes sintomas muito bem. E eles não são poucos. O mal atinge cerca de 40 milhões de brasileiros, segundo o presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia do Rio (ASBAI-RJ), Dr. Fábio Kuschnir.

Mas o que causa a alergia, essa reação exagerada do organismo a determinadas substâncias? Podem ser ácaros da poeira, proteínas derivadas de animais (cães e gatos), fungos e insetos (baratas domésticas). Os alérgenos estão mais próximos do que se imagina. E, por isso mesmo, mais fáceis de ser eliminados.

Pequenas atitudes como deixar o ambiente bem arejado e ventilado já podem ajudar no combate às alergias mais comuns. “Entre os principais alérgenos envolvidos nestas doenças em nosso meio destacam-se os ácaros da poeira domiciliar. As condições ideais para o seu desenvolvimento são áreas de clima quente e úmido, condições encontradas no Rio de Janeiro”, explica Kuschnir.

Ele sugere atenção especial ao quarto do alérgico: travesseiros, roupas de cama, carpetes e móveis estofados são reservatórios de descamações da pele humana, que é principal fonte alimentar dos ácaros. “Calcula-se que devam existir de 500 mil a 2 milhões de ácaros no interior de um colchão, independentemente das condições de higiene da casa”.

Leia mais…

Bookmark and Share

Algumas pessoas tem a seguinte dúvida: “A casa fica mais limpa se ficar aberta ou fechada?” É claro que, se a casa ficar aberta, entra mais pó. Mas não dá pra ficar com a casa totalmente fechada (nem no inverno), né colega?

É fundamental abrir as janelas para ventilar a casa durante o dia! Os ácaros “adoram” o ar parado. É muito mais saudável ter uma casa arejada, com ar sempre renovado. Já o pó, a gente dá um jeito e tira. ;)

 

Use sempre o bom senso e #concentra!

A manutenção da limpeza depende da localização da casa. É preciso pensar se onde você mora é mais poluído, tem muita poeira, ou se é mais tranquilo e arborizado. A partir dessas observações, você define quantos dias por semana tem que limpar e, se é preciso fazer uma faxina mais caprichada!

Conviver com pó dentro de casa, definitivamente, não é bom! Ninguém quer respirar um ar carregado com poeira, certo? E a gente sabe que o pó se acumula muitos lugares, como em cortinas, sofás, tapetes, móveis, vidros, enfeites, etc…Então, temos que nos organizar e planejar a limpeza!

*Nem preciso dizer que a casa deve estar com as janelas suuuuper abertas na hora da limpeza, né?

*Você pode usar aspirador em sofás, cortinas, tapetes e o chão você pode aspirar ou varrer!

*Deixe para tirar o pó por último e, se possível, use um pano úmido para não espalhar!

*Evite o espanador, pois o pó levanta e depois abaixa de novo!

A casa tem que ser um lugar gostoso, aconchegante, bonito e, principalmente, saudável! E o meu trabalho de empregada doméstica contribui para isso! Pense nisso, colega, e capriche no seu dia a dia! :)

Fonte: Super Nice

Bookmark and Share

Chegou a estação mais fria do ano. Com isso, surgem algumas dúvidas em relação aos cuidados com as plantas daquele lindo jardim que construímos nas últimas semanas. Vamos a algumas dicas e explicações antes de tomar um chocolate quente curtindo a natureza que cultivamos e fizemos crescer em nossa casa!

Durante os meses de junho, julho, agosto e setembro, no sul e no sudeste do país, algumas espécies se cuidam sozinhas. Elas entram em um processo semelhante à hibernação dos animais e simplesmente adormecem. São plantas que diminuem a velocidade de seu crescimento vegetativo e acumulam energia para florescer com força total depois do frio. Entre elas, encontram-se muitos arbustos e árvores, que necessitam de poda de limpeza nesta época.

Por outro lado, algumas espécies carecem de mais atenção. Os canteiros de hortaliças, por exemplo, podem ser cobertos por uma camada de folhas e galhos secos, técnica que servirá como isolante térmico, além de repor a matéria orgânica, melhorando a fertilidade e a textura do solo.

A série de cuidados possíveis durante o frio inclui, ainda, no caso de espécies maiores tais como árvores e arbustos, a remoção de galhos secos, malformados e doentes para que a luz do sol se distribua melhor por toda a superfície da planta.
Outra dica: durante o inverno, regue as plantas somente quando a terra começar a secar, porque o frio reduz a evaporação da água.

Espécies que gostam do frio
Vale lembrar que algumas espécies atingem seu esplendor justamente no tempo gelado. Por isso, vale a pena saber como podar, adubar e proteger cada uma delas conforme suas necessidades e características, uma prática que pode garantir um jardim florido durante todas as estações do ano.

Ipê roxo, pata de vaca, primaveras, camélia, azaléia e gardênia são boas dicas para o cultivo no inverno. Também ficam bonitas nessa época árvores frutíferas que perdem folhas: jabuticabeira, caquizeiro, figueira, pessegueiro e pereira.

Aproveite o inverno para combater pragas e doenças: como a maioria delas reduz sua proliferação neste período, é um bom momento para controlá-las de forma mais eficiente. Tenha cuidado com as exceções à regra: algumas doenças provenientes de fungos aumentam, principalmente em regiões com longos períodos chuvosos.

Para ministrar tratamentos de doenças em plantas, como fungicidas e remédios para controle de pragas, entre outros, é indicado contar com o trabalho de um profissional jardineiro, agrônomo ou paisagista.

Fonte: Uol

Bookmark and Share

casa

Um bom isolamento térmico é fundamental porque garante o conforto térmico da casa e permite uma redução considerável no consumo de energia, uma vez que reduz as perdas de calor para o exterior no Inverno e os ganhos de calor no Verão.

Grande parte das perdas de calor de uma habitação acontecem pelas janelas e portas. Paredes e assoalhos também são importantes para conservar a temperatura. E existem algumas alterações que podem ser feitas para melhorar o isolamento da sua casa.

São elas:

– Onde houver vidraças, aposte no vidro duplo. O ar que fica entre os dois vidros melhora o isolamento térmico e acústico também;

– Nas frestas das janelas e portas, você pode vedar com fita adesiva e espuma. Não é muito estético mas é bem eficaz;

– Se puder, faça paredes duplas. São ótimas para isolamento térmico, acústico e para evitar que a umidade exterior invada a sua casa;

– No telhado, uma camada de lã de rocha ou placas de cortiça entre as telhas, ajuda e muito a manter a sua casa com uma temperatura sempre agradável;

– Ao invés de pintar as paredes da sua casa, aposte nas coberturas em tecido. Elas garantem um excelente isolamento térmico;

– Você também poderá fazer o isolamento do piso da sua casa. Mas é um procedimento muito trabalhoso e em alguns casos, caro.

Bookmark and Share