Quando a temperatura aumenta, nada mais comum do que encontrar baratas pela casa. Se não houver faxina frequente, as chances de as baratas passearem pelas cozinhas e banheiros aumenta ainda mais. Para se livrar desse problema é importante ficar de olho nas dicas abaixo:

casa limpa

Limpeza

Manter a casa limpa é o primeiro passo para evitar baratas. Livre-se delas mantendo limpa principalmente a cozinha, mais especificamente as prateleiras, as bancadas e até o chão.

Sempre que houver manipulação de qualquer tipo de alimento, a cozinha deve ser limpa. De preferência, passe um pano úmido com vinagre branco em todo o piso, pia e paredes onde elas passam.

Os banheiros, quartos e sala também devem ser limpos com frequência. O que mais chama a atenção das baratas são os restos de alimentos, portanto uma boa limpeza é essencial.

Truques para eliminar de vez as baratas

– Folhas de Louro: Afastam e evitam o retorno de insetos, entre eles as baratas domésticas e francesinhas. Coloque algumas folhas de louro nos cantos da casa e use-as em todos os cômodos: sala, quartos, cozinha e banheiro. Funciona muito bem!

– Frestas: Qualquer tipo de fenda, buracos, frestas, rodapés devem ser tampados, pois são locais comuns para a reprodução das baratas. Portanto, vede-os com borracha, silicone ou até mesmo cimento.

– Óleos Essenciais de Eucalipto e Alecrim: Baratas não suportam o cheiro destes óleos. Pingue algumas gotas em um chumaço de algodão e espalhe pelos lugares onde o inseto aparece com mais frequência.

– Compostos tóxicos: Tome muito cuidado na hora de manusear inseticidas ou sprays. Se preferir esse método para eliminar baratas, escolha os menos tóxicos, como ácido bórico e terra diatomácea.

– Ralos – Esta é uma das principais fontes de entrada de baratas em casa. Para evitar que elas entrem pelo ralo, tampe-os com grelhas ou qualquer tipo de tampa.

Fonte: Casa Linda

Bookmark and Share

Manter a casa limpa e bem arrumada é fácil com o auxílio da tecnologia e de inúmeros produtos disponíveis. Mas algumas tarefas podem ser feitas com o uso de ingredientes caseiros, que garantem a manutenção de louças e revestimentos da residência. Principalmente, para remover manchas. Confira 8 dicas de como cuidar de louças, toalhas, tapetes e móveis de maneira simples:

Louça: sempre siga as orientações passadas pelos fabricantes sobre como lavar e manter as peças. Em geral, as de louça são que melhor suportam altas temperaturas, no caso de quem tem lava-louças. No caso de porcelana, lave na mão com água fria e sabão neutro. Nas louças em geral, a remoção da gordura é feita de maneira mais fácil com água quente e umas gotas de limão ou de suco de limão. Louças decoradas, principalmente as pintadas à mão, devem ser lavadas em água fria, sabão neutro e bucha suave.

Porcelana: peças podem ganhar manchas escuras com o passar do tempo. O melhor para removê-las é mergulhar os itens numa mistura de água quente com água sanitária. Para recuperar as cores e o brilho natural, esfregue um pouco de mistura de água com suco de limão.

Toalhas: peças suaves e fofas são fáceis de serem conseguidas com uma colherada de vinagre ou de suco de limão no enxágue. Outras opções é lavá-las em água com sal ou com xampu neutro. Para recuperar o efeito atoalhado, passe as mãos em ambos os sentidos depois que estiverem secas.

Tapetes de fibras: precisam ser aspirados pelo menos uma vez por semana. Manchas localizadas são removidas com uma mistura de água, sabão neutro e um pouco de amoníaco. Depois seque com secador. Evite molhar o material, porque se deteriora facilmente. Se preferir, aplique produtos prontos específicos para remover manchas, seguindo as instruções do fabricante.

Armário de sapatos: um recipiente com ácido bórico ou carvão vegetal ajudam a deixar armários e sapateiras sem odores desagradáveis. Limpar o solado dos pares antes de guardá-los também ajuda a manter a casa limpa. Isso pode ser feito com escova de cerdas duras ou até mesmo com o aspirador de pó. Detergente neutro e água quente removem pequenas manchas no material.

 

Prateleiras: muitas vezes passar um pano umedecido não remove todos os resíduos que se acumulam ao longo dos anos. Os cantos merecem atenção e podem ser limpos com o menor bico do aspirador de pó. Se quiser proteger o material de riscos, é possível cobrir as prateleiras com tecidos, passadeiras ou telas antiderrapantes. De tempos em tempos, passar um algodão embebido em água e detergente neutro ajuda a remover a gordura que se acumula nos móveis.

Carpete de lã: passar uma escova e depois aspirar é o suficiente para manter carpetes de lã limpos. No caso de manchas, uma mistura de água quente, detergente neutro e amoníaco deve ser passado com uma escova no sentido do pelo e deixe secar.

Carpete de fibra vegetal: aspirar diariamente ajuda a manter o pó longe. Limpezas profundas podem ser feitas com água morna e detergente neutro.

Fonte: IG

Bookmark and Share

1. Limpe tudo de cima para baixo. Assim, você não suja o que já limpou.

2. Divida a faxina por cômodo. Acabou de limpar o banheiro? Feche-o e vá para o próximo ambiente.

3. Junte tudo que for necessário para limpar um cômodo antes de começar a faxina. Assim, você não fica indo e vindo com baldes, vassouras e panos.


4. Use chinelos (e mantenha-os sempre limpos). Não deixe que seus filhos entrem em casa de sapatos. Isso evita que a sujeira seja levada de um lado para o outro.

5. Planeje as atividades. Seja objetiva e não pare o trabalho na metade. Se preferir, faça uma lista de tarefas e dê baixa assim que cada item for cumprido.

6. Elimine a sujeira assim que ela surgir. Manchas secas são mais difíceis de tirar.

7. Envolva toda a família na limpeza. Quanto maior o número de pessoas, menor o tempo da faxina.

8. Deixe o chão sempre por último.

9. Use um bom capacho. Quanto menos sujeira você leva para dentro do cômodo, mais rápida é a limpeza!

10. Elimine tudo que for desnecessário. Quanto maior o número de objetos espalhados pela casa, maior o tempo de limpeza. Livre-se das tranqueiras!

Fonte: M de Mulher

Bookmark and Share

Se você pensar em todo o trabalho que sua maquina de lavar faz e tudo que vai nela, não é de se surpreender que de vez em quando sua máquina precise de uma limpeza completa. Existem alguns produtos comerciais vendidos para limpar a parte interna de sua maquina, mas você pode fazer isso com alguns produtos disponíveis em casa e um pouco de trabalho.

1) Vinagre. Adicione 1-2 xícaras de vinagre branco destilado em sua máquina de lavar. Ajuste a maquina para água quente se possível, colocando a maior carga de água possível. Deixe a máquina fazer seu ciclo completo de lavar e enxaguar. Isso mata mofos e bolores e ajuda a desprender a sujeira que se acumula no interior da maquina.

2) Sumo de limão ou lima. Se você está tendo problemas de ferrugem, adicione 1 xícara de suco de limão ou lima e deixe a maquina fazer um ciclo de lavagem. Isto também deve ser feito com a maior carga e com a água mais quente possível. (Se sua lavadora está mostrando sinais de ferrugem, é uma boa ideia entrar em contato com o fabricante ou alguém que conserte para descobrir o melhor a se fazer. A ferrugem é sinal de que o cilindro da máquina de lavar roupa está danificado.)

3) Bicarbonato de sódio. Termine colocando duas xícaras de bicarbonato de sódio na água e deixe o ciclo da água o mais quente possível, bem como em uma grande carga de lavagem. Isto irá remover manchas e terminar de tirar o acúmulo de detergentes e amaciantes. Se a sua lavadora estiver muito manchada e você não ligar de usar água sanitária, você pode adicionar duas xícaras desse produto também.

4) Enxague. Lave o interior da lavadora, executando um ciclo sem nada dentro da maquina.
Remova quaisquer peças que possam ser removidas e lave-as. Pegue o recipiente para amaciante, o recipiente para água sanitária, e o papa-fios (se algum destes elementos forem removíveis) e lave-os em água quente com sabão (detergente para prato é uma boa escolha para isso).

5) Limpe as partes difíceis de alcançar. É uma boa ideia limpar o lado de baixo da lavadora, onde a água as vezes espirra. Utilize uma esponja com água e vinagre (adicione 1 xícara de vinagre para um balde de água e utilize essa solução para a limpeza). Depois limpe o aro da lavadora (onde a porta ou tampa repousam). Limpe qualquer recipiente que não seja removível. Lave a parte inferior da tampa e limpe o agitador caso haja qualquer evidência de sujeira. (Cotonetes ou escovas de dente ou antigas podem ajudar a limpar cantos difíceis de limpar.)

6) Limpe o exterior. Usando um esponja com água e vinagre, limpe a frente da máquina de lavar, assim como quaisquer outras peças expostas. Conclua esfregando o topo da mesma.

7) Opcional – Limpe ao redor da lavadora e secadora e verifique as mangueiras. É uma boa idéia passar o aspirador de pó ao redor da máquina de lavar e secar, e esse é um bom momento para se fazer isso. Verifique o desgaste das mangueiras. A maioria dos fabricantes sugerem a substituição destas de cinco em cinco anos e localizar um desgaste antes disso pode economizar dinheiro e tempo ao evitar vazamentos e até explosões de mangueiras sob pressão.

Fonte: Como fazer tudo

Bookmark and Share

Basta andar pela sessão de higiene e limpeza dos supermercados para ver as inúmeras soluções que o mercado oferece para a dona de casa deixar sua casa limpa, protegida de bactérias e perfumada. Entretanto, na hora de fazer uma boa faxina e até mesmo na limpeza simples do dia a dia, muita gente ainda prefere utilizar o álcool acreditando em sua eficiência superior. A questão é polêmica, mas até que ponto vale a pena recorrer a um produto tão perigoso?

Os registros da utilização de álcool como produto de limpeza vêm desde a Idade Média. No Brasil, é usado há mais de 200 anos sobretudo em hospitais e serviços de saúde devido às suas propriedades antissépticas e potencialidades microbicidas e germicidas. Seu uso é tão popular que o Brasil é considerado um dos maiores consumidores de álcool para uso doméstico no mundo e um dos poucos onde a comercialização é permitida sem fiscalização ou controle.

Os tipos de álcool mais utilizados para limpeza são o etílico e o isopropílico. Ambos são antissépticos e desinfetantes, mas o álcool isopropílico é mais eficiente contra bactérias, enquanto o etílico é mais potente contra vírus. O álcool etílico possui água em sua composição e é comercializado facilmente nos supermercados a preços baixos, já o isopropílico é mais caro e tem sua comercialização restrita à farmácias de manipulação e lojas de hardwares, pois sua fórmula anidra, isto é, com pouquíssima água, é mais eficiente na limpeza de hardwares, pois evita a corrosão e a oxidação dos metais presentes nesses equipamentos.

O alerta para o uso do álcool consiste no fato de se tratar de um produto altamente inflamável que, quando inserido no uso doméstico para limpar a casa ou acender churrasqueiras, expõe adultos e principalmente crianças a queimaduras gravíssimas e riscos que podem ser fatais.

Os dados referentes a queimaduras em adultos e crianças são altíssimos, mas não são exatos. De acordo com o Ministério da Saúde, no ano de 2011 mais de 7.200 pessoas foram internadas em consequência de queimaduras causadas por produtos inflamáveis como álcool, gasolina, diesel, querosene, entre outros, e o uso indevido e o armazenamento inadequado dessas substâncias nas residências colaboram para o aumento desses dados.

Continue lendo…

Bookmark and Share

Se você tem alergia ao pêlo de animais de estimação, provavelmente percebe quão rapidamente a presença de um cachorro ou gato te afeta, e você pode precisar tomar remédios para reduzir ou suprimir os sintomas se você é dono de algum animal. Esses medicamentos vêm mesmo a calhar – não importa quão cuidado você seja ao manter os animais e seus pêlos fora de sua casa. Os sapatos dos outros podem trazer esses resíduos de fora, enquanto que as roupas distribuem os pêlos de ambiente em ambiente.

Se você quiser ter alguma esperança de alívio para suas alergias, é preciso trabalhar para eliminar as fontes de alérgenos ao mesmo tempo em que trabalha para expulsar esses alérgenos já existentes de sua casa. Quer se trate de ácaros ou partículas de pólen que te desencadeiam os sintomas, carpetes e tapetes são bastante convidativos para os alérgenos.

Assim como muitas pessoas, você provavelmente tem o mesmo aspirador de pó há bastante tempo, assim como um monte de sacos descartáveis que esses aspiradores requerem. É importante livrar sua casa da sujeira, ácaros, pólen e qualquer outra coisa que te faça espirrar – por isso, aspirar frequentemente a casa é parte importante de sua estratégia de combate à alergia. No entanto, aspiradores antigos podem não fazer bem esse trabalho. Por uma razão – os sacos ficam cheios, a potência diminui e isso significa que os alérgenos permanecem no carpete mesmo após você passar o aspirador por cima deles.

Então, como aspirar pode te ajudar a combater alergias? Clique aqui e leia mais para descobrir.

Bookmark and Share

1 – Não misture roupas de uso pessoal com panos de prato ou de limpeza. Regra básica. Não é higiênico você misturá-las. Lave-as sempre separadas, pois os panos de prato geralmente têm gordura e podem passar para suas roupas pessoais. Os de limpeza estão em contato com produtos químicos mais fortes e podem causar alguma alergia ou danificar o tecido, caso suas roupas se misturarem com eles.

2 – Não misture roupas muito sujas com outras peças (por exemplo, as de crianças). Quem tem criança em casa sabe o que é uma roupa suja e uma roupa muito suja. Quando a sujeira da roupa é leve, às vezes apenas de cheiro de suor e poeira, quando se misturam com roupas muito sujas, que podem ter barro, correm o risco de mancharem, dificultando muito a lavagem e o processo de retirada das manchas.

3 – Não misture com roupas de cor com roupas brancas. Roupas coloridas podem soltar tinta. Se você misturar roupas de cor com roupas brancas, provavelmente as coloridas irão manchar as brancas. E o tempo para ficarem de molho é diferente. As brancas devem ficar de um dia para o outro e as de cor, somente alguns minutos. Veja mais em Pré-lavagem.

4 – Não, ou melhor, nunca deixe de molho roupas de cor forte. Roupas de cor forte se ficam muito tempo de molho vão desbotar com certeza, e uma roupa desbotada fica com aparência de velha. Se a roupa tem cor forte, essa é sua cor de origem. Roupas que são naturalmente desbotadas já são compradas assim. Uma roupa que não tem essa característica originalmente, quando desbota parece velha. E você não vai querer que isso aconteça com as suas, certo?

5 – Não use sabão demais, só vai dificultar a lavagem. Achar que quanto mais sabão, mais limpa vai ficar a roupa é um engano. A medida certa é o ideal. As máquinas atuais têm medidores que acompanham. Então, não tem como errar. Na hora do balde ou bacia, use o bom senso. Coloque um pouco de sabão em pó, adicione a água e mexa até obter espuma. Aí está pronto para usar.

Fonte: Blog da Vovó

Bookmark and Share

Muito se fala sobre a higienização dos alimentos e validade de produtos, mas e a esponja de lavar louça? Afinal, não é só nos alimentos que reside a fonte de contaminação por microorganismos.

Pesquisando sobre o assunto, é possível encontrar alguns detalhes interessantes. Na embalagem das esponjas, por exemplo, não há o prazo de validade quando em uso, mas traz as seguintes recomendações:

“Após o uso, lave a esponja com água e sabão para remover restos de alimentos e gordura. Retire o excesso de água e guarde-a em local limpo e seco, sem contato com outros produtos de limpeza.
Para higienização, ferva 1 litro de água e desligue o fogo, coloque a esponja, previamente lavada, na água fervida por 10 minutos. Retire-a da água com auxílio de um pegador e espere esfriar. Retire o excesso de água e guarde-a em local limpo e seco. Repita essa operação a cada 3 ou 4 dias.”

De acordo com o biomédico e imunologista Rogério Saad Vaz, uma semana é o prazo para substituição. Após esse período, a esponja, ao invés de limpar, vai contaminar os objetos.
Segundo ele, “o ideal é ferver a esponja por uns cinco minutos após um dia de uso ou mergulhá-la em um vasilhame com 1 litro de água e uma colher de sopa de um produto saneante por 10 minutos”. Outras recomendações são colocá-la no microondas por 2 minutos para secar e evitar o uso de suportes de plástico, como porta-esponja, porque acumulam água, deixando-a sempre molhada.

Cláudio Lima, engenheiro de alimentos, especialista em alimentos e saúde pública, mestre em tecnologia de alimentos, autor de três livros na área de higiene e qualidade de alimentos, fez uma enquete em seu blog sobre a frequência de troca de uma esponja de lavar louça. Obteve o seguinte resultado:

  • De 5 em 5 dias (2,85% das respostas)
  • De 15 em 15 dias (2,85% das respostas)
  • Uma vez por semana (14,28% das respostas)
  • Quando está muito suja (20,0% das respostas)
  • Quando começa a soltar fragmentos (25,71% das respostas)
  • Uma vez por mês (34,28% das respostas)

“Não existe um tempo prefixado para trocar a esponja de louça, por isso devemos usar o bom senso. De uma forma geral, tudo depende do volume de uso da esponja.
Para uma família grande onde consideramos uma grande utilização da esponja devido ao grande número de pratos, talheres, panelas e demais utensílios de cozinha a serem lavados, pode-se realmente trocar de esponja a cada 5 dias ou 1 vez por semana.
Por outro lado, para uma família com pequena quantidade de pessoas uma esponja pode durar mais tempo e atingir cerca de 20 dias”.
Ele tece, ainda, as seguintes recomendações:

  • Use uma esponja especialmente para lavar louças e outra para lavar a pia.
  • Ao final do dia, lave-a, enxague-a bem para retirar o sabão e coloque-a de molho numa solução clorada por 5 minutos (2 colheres de sopa de água sanitária para 1 litro de água tratada).
  • Esprema bem a esponja para retirar o excesso de umidade com um pano limpo, caso contrário, favorece o crescimento microbiano.
  • Guarde-a em local seco. Não guarde sobre aquela barra de sabão que algumas pessoas utilizam em suas pias.

Concluindo, não existe consenso entre os especialistas quanto à validade, mas as sugestões são importantes, coincidem em vários pontos e muitas vezes nós sequer lemos as embalagens dos produtos, que trazem regras básicas.
Uma mudança de hábitos sempre é bem-vinda quando se trata de saúde.

Fonte: Na Cozinha Brasil

Bookmark and Share

As mosquinhas de banheiro (também conhecidas como mosca dos filtros ou mosca dos ralos) são mais próximas dos mosquitos do que das moscas propriamente ditas e pertencem a família Psychodidae.

Segundo Francisco José Zorzenon, diretor técnico da Unidade Laboratorial de Referência em Pragas Urbanas do Instituto Biológico, as principais espécies são do gênero Psycoda, sendo as mais comuns: Psychoda alternata, P. cinerea, P. satchelli, além da espécie Telmatoscopus albipunctatus.Os adultos, muito pequenos (cerca de 2 mm), possuem corpo robusto com muitas cerdas, asas recobertas por densa pilosidade, aspecto semelhante a uma pequena mariposa e coloração variando entre o marrom claro e cinza.

Esses insetos tem hábitos noturnos: as fêmeas botam grupos de 10 a 200 ovos, com eclosão entre 32 a 48 horas. Ovos, larva e pupas são encontrados em locais úmidos, junto a películas orgânicas (formadas por resíduos da descamação natural da pele, cabelos, pelos, fungos, etc.) presentes em banheiros e cozinhas, em ralos, canos de esgoto, junções de vasos sanitários e boxes de banheiro, frestas de azulejos e paredes.

O ciclo da larva é de aproximadamente 9 a 15 dias e o da pupa em torno de 20 a 40 horas. O processo do ovo ao inseto adulto leva aproximadamente duas semanas, dependendo das condições ambientais e de disponibilidade de alimento. “Os adultos fazem voos irregulares e de autonomia reduzida, permanecendo nas proximidades de ralos e paredes, junto à umidade de banheiros e cozinhas”, explica Zorzenon. Vivem nesta fase cerca de 15 dias.

Prevenção

Apesar de pertencerem à mesma família dos mosquitos palha (transmissores da leishmaniose ou úlcera de bauru) as mosquinhas não são transmissoras de doenças. No entanto causam grande incômodo pela simples presença ou levam a entomofobia (pavor de insetos). Se você não quer ter essas moscas voando em seu banheiro, mantenha o local sempre muito limpo. Isso quer dizer lavar bordas de ralos, com uma escovinha, secar o piso após o uso (banhos, etc.) e estancar possíveis infiltrações em pias e vasos sanitários. “Sem água e alimento os insetos proliferam com maior dificuldade”, finaliza o pesquisador.

Combate

No caso dessas moscas a prevenção ainda é a melhor medida. No entanto, se elas já apareceram, Zorzenon recomenda uma limpeza mais pesada com água sanitária ou produto que contenha cloro em sua fórmula, principalmente nos locais onde o inseto possa se desenvolver, tais como frestas, canaletas de boxes junto ao piso, ralos e qualquer lugar onde haja acúmulo de umidade ou água.

Também é indicado manter azulejos, pisos e vasos sanitários com rejuntes e ligações em dia. O uso de inseticidas comuns é dispensável, pois os produtos no mercado eliminam apenas os insetos adultos e não ovos ou larvas. No caso de infestações severas, a contratação de empresa controladora de pragas urbanas ainda é a solução.

Fonte: Delas

Bookmark and Share

Carpetes e pisos de madeira são uma opção muito procurada para revestir o chão das residências, mas muitas pessoas têm dúvidas sobre como limpar e conservar estes revestimentos sempre novos.

O primeiro passo é entender que estes são produtos naturais, ou seja, orgânicos, que absorvem umidade e podem expandir ou encolher de acordo com o clima e época do ano. Por isso, preste atenção na instalação, é preciso deixar um espaço entre o piso e a parede para que, em caso de expansão, exista área suficiente para o piso se acomodar sem sofrer empenamento. Além disso, estes materiais também podem passar por alterações na cor devido à troca de umidade com o ar, mesmo em ambientes fechados.

Segundo a Associação Nacional dos Produtos de Pisos de Madeira, ANPM, a secagem da madeira antes das peças serem adequadas às futuras funções de uso é uma maneira eficiente de aumentar a durabilidade natural dos revestimentos feitos com este material. De acordo com a ANPM, pisos de madeira costumam ser submetidos à secagem industrial, com ventilação forçada, aquecimento e controle de umidade relativa.

Também existem algumas medidas que você pode tomar em casa para conservar as características de seu piso e carpete de madeira, como evitar o contato direto com água da chuva e proteger o revestimento da incidência direta do sol.

A diferença entre pisos e carpetes de madeira

O carpete e o piso de madeira são dois produtos diferentes. Para esclarecer este tema, conversamos com o gerente de Desenvolvimento Técnico Pré e Pós-Vendas da Duratex, Edison Clini Rocco. “O carpete de madeira é formado no seu miolo por um aglomerado, compensado, OSD, ou MDF, entre outros materiais. Em cima dele é colocada uma lâmina de madeira. Esse carpete não tem resistência a impactos, manchas, queimas e riscos. Já o piso de madeira é feito de madeira maciça. Ele tem mais resistência e pode ser até lixado”, explica Edison.

Os pisos de madeira ainda podem ser de tacos ou tábua corrida. Este produto também é classificado em laminado de alta resistência, que recebe acabamento em lâminas de celulose ou resina prensadas em alta pressão, formando um corpo único, ou de baixa resistência, geralmente acabados em lâminas de madeira natural revestidas com verniz.

Clique aqui e confira dicas para limpar o seu piso de madeira.

Bookmark and Share