Mesmo sendo muito importante, o processo de reciclagem utiliza energia, combustível e tempo de transporte dos caminhões que fazem a coleta do lixo nas residências para depois levar os resíduos às cooperativas e recicladores. Isso sem contar a energia das máquinas, o transporte do produto reciclado até as novas fabricas, etc. Todas essas tarefas são necessárias para mitigar os danos ambientais, mas também geram emissões que podem desequilibrar o efeito estufa, contribuindo para o aquecimento global. Por isso, antes de enviar um item para a reciclagem, é importantíssimo que ele tenha sido usado ao máximo. Com o prolongamento da vida útil do objetos por meio da reutilização, o processo de reciclagem se torna muito mais qualitativo.

reciclar

Confira abaixo como reaproveitar diversos itens presentes no seu cotidiano:

1. Reutilize cobertores e toalhas. Caso você tenha animais, estique os cobertores e toalhas em um local onde eles possam sentar e dormir. As toalhas velhas também podem se tornar panos de chão;

2. As sementes de frutas e vegetais não precisam ir para o lixo. Plante-as no quintal ou em pequenos vasos e faça uma horta caseira;

3. Essa é para reutilizar a energia do calor. Em épocas frias, após utilizar o forno do fogão, deixe a porta do mesmo aberta para esquentar o ambiente, após desligá-lo;

4. A borra de café pode ser ótima aliada para o crescimento sadio de suas plantas. Confira mais dicas aqui;

5. A árvore de natal pode ser reutilizada a cada ano, mas também pode servir de habitat para os pássaros. Basta colocá-la na varanda de sua casa e esperar que os passarinhos se instalem nela (não pode ser árvore falsa);

6. Reutilize caixas de papelão e plástico bolha para acondicionar louças e itens frágeis quando for organizar uma mudança;

7. Aquele velho tapete pode ser restaurado e ganhar uma segunda vida. Existem lojas específicas que fazem esse trabalho;

8. Reutilize as sobras e cascas de alimentos e todo o material orgânico da sua casa fazendo a compostagem. Saiba o que não deve ir para a composteira e siga o passo-a-passo para aplicar essa técnica sustentável no seu dia-a-dia;

9. Reutilize embalagens de manteiga e margarina para guardar sobras de comida em geral;

10. Roupas velhas podem virar panos de limpeza. Também é possível transformar sua camiseta velha em uma bolsa sustentável;

11. Reutilize o recheio dos travesseiros e edredons velhos para fazer almofadas. Aproveite também para transformar as fronhas do travesseiro como trapos;

12. Guarde o papel de embrulho de algum presente recebido para usá-lo novamente quando for presentear alguém;

13. Utilize os jornais, revistas e outros produtos de papel para ajudar no transporte de itens frágeis;

14. Após as crianças brincarem em piscinas infantis montáveis, que não utilizam água clorada, reutilize a água para molhar plantas e arbustos;

15. Achou uma lata de tinta que já está há muito tempo no armário? Caso ela esteja dentro do prazo de validade, procure cômodos e objetos da sua casa que possam receber uma nova roupagem;

16. Recipientes de vidro com tampa podem servir para guardar sobras de comida ou acondicionarem um doce, como uma geleia;

17. Reaproveite sua escova de dentes na limpeza de lugares de difícil acesso (veja mais aqui);

18. Não sabe o que fazer com pães amanhecidos? Corte-os em fatias e leve-os ao forno para fazer uma deliciosa torrada. Também é possível picá-los e jogá-los no quintal para alimentar pássaros;

19. Com tampinhas de garrafa PET, é possível fazer o seu próprio jogo de damas, por exemplo. Basta coletar peças de duas cores diferentes;

20. Canudinhos plásticos devem ser evitados, mas caso você tenha alguns em casa, é possível transformá-los em miçangas, como mostra o vídeo;

21. Papel alumínio pode ser limpo com cuidado para poder acondicionar alimentos novamente;

22. CDs podem virar mosaicos, espelhos e outras coisas. Confira aqui;

23. As folhas secas, galhos e arbustos do seu quintal podem ser ótimos para afertilização do solo;

24. O tubo de pasta de dentes pode se transformar num pequeno porta-moedas;

25. Cascas de frutos do mar podem ser quebradas para decorarem o jardim;

26. Tubos de papel higiênico podem servir para crianças fazerem artesanato ou até para brincarem de boliche, substituindo os pinos. Seu cachorro ou gato também pode gostar de brincar com eles.

Muitos desses itens, depois de reutilizados, podem ser reciclados. Clique aqui e saiba onde e como fazer a doação ou a reciclagem.

Fonte: eCycle

Bookmark and Share

Entulhos da construção civil e da demolição são matérias primas importantes e de qualidade para a pavimentação de ruas e avenidas, entre outros espaços e vias. Pisos e pavimentos fabricados a partir do reaproveitamento desses resíduos permitem a drenagem do solo e evitam que milhares de toneladas sejam descartados diariamente no meio ambiente e em aterros.

Segundo a Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon), no Brasil são recolhidas oficialmente por ano cerca de 33 milhões de toneladas de entulho – material suficiente para construir quase 500 mil casas populares de 50 metros quadrados cada. Levando em consideração o preço do Custo Unitário Básico (CUB) médio brasileiro da construção em outubro de 2012 (R$ 1.001,47), são cerca de R$ 26 bilhões. Este valor pode ser ainda mais alto, já que a própria Abrecon admite que a quantidade descartada é muito maior que a oficial.

Na Europa e Estados Unidos os produtos da indústria de pavimento ecológico já são amplamente utilizados e esse segmento é consolidado no mercado. Os blocos de concreto reciclados estão se tornando opção no Brasil para obras de prefeituras e condomínios, entre outros. O pavimento ecológico significa economia de recursos naturais e, também, econômicos. Custa menos do que o pavimento convencional.

Para interessados em empreender nesse segmento, o Sebrae editou a cartilha Indústria de Pavimento Ecológico, integrante da série Ideias de Negócios Sustentáveis. Para acessá-la, basta acessar o site www.sustentabilidade.sebrae.com.br

Fonte: Atitude Sustentável

Bookmark and Share

Bookmark and Share

Separar o lixo reciclável em casa é algo muito mais simples do que parece. Porém, pouca gente sabe disso. O resultado? Falta de engajamento. Para mostrar que a tarefa é simples (e traz resultados expressivos), elaboramos um guia prático, com perguntas e respostas.

Também vamos ajudar você a encontrar os locais próximos da sua casa que recebem o lixo reciclável. Sim, você não precisa enfrentar longas distâncias para ser ecologicamente correto.

1- QUAL É A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM?

A reciclagem traz benefícios econômicos, sociais e ambientais. Quanto ao meio ambiente, a reciclagem diminui a pressão sobre os aterros, o que é importante, porque muitos já chegaram ao limite. Reciclar também significa reduzir a utilização de recursos naturais pela indústria, poupando o meio ambiente, além de diminuir o custo da matéria-prima e o gasto energético no processo fabril. Além disso, a reciclagem gera renda para os catadores de materiais recicláveis, que têm garantia de trabalho remunerado.

2) É PRECISO SEPARAR, EM CASA, OS MATERIAIS DE ACORDO COM O TIPO DE CADA UM, OU SEJA, PLÁSTICO, PAPEL, ALUMÍNIO E VIDRO?

Não. Basta separar o que é seco do que é úmido, como restos de comida. A triagem é feita depois, pelas cooperativas de catadores.

3) É PRECISO LAVAR TODAS AS EMBALAGENS ANTES DE ENCAMINHÁ-LAS PARA A RECICLAGEM? POSSO ENCAMINHAR UM GUARDANAPO SUJO, POR EXEMPLO? E UM COPINHO COM RESTOS DE CAFÉ? O PAPEL DE UMA BITUAC DE CIGARRO POR SER RECICLADO?

Você não deve lavar as embalagens, porque essa atitude gera um outro problema ambiental, que é o desperdício de água. Use a água da lavagem da louça apenas para enxaguar os recipientes, quando for o caso.

4) O QUE PODE SER RECICLADO, AFINAL?

Tudo pode ser reciclado, inclusive isopor, lâmpadas fluorescentes e pilhas. O isopor deve ser separado em casa, assim como o plástico e o papel, por exemplo. Quanto às pilhas, uma opção é levá-las aos postos do Papa-Pilhas, que existem em vários pontos das cidades.

Se a pilha for alcalina, ela não terá metais pesados em sua constituição e poderá ser descartada no lixo seco, em casa, junto aos outros materiais recicláveis. Quanto às lâmpadas, é preciso ter cuidado na hora do descarte. Elas não podem ser quebradas, porque têm mercúrio na composição, uma substância poluente. Empresas do Brasil todo reciclam esse tipo de lâmpada.

Leia mais…

Bookmark and Share

O crescente volume de lixo tecnológico, como celulares, computadores e televisores descartados pelos consumidores está movimentando um novo negócio: fábricas que desconstroem equipamentos para recolocar as matérias primas no processo industrial, a chamada manufatura reversa.

celularrec1

O segmento começa a ser visto como promissor – vários Estados, como São Paulo, estão criando leis que obrigam os fabricantes a darem destino correto aos eletroeletrônicos ao fim de sua vida útil.

Por ser ainda incipiente, não existem estatísticas precisas sobre o quanto essa indústria movimenta. Mas ela difere dos sucateiros de fundo de quintal, que desmontam equipamentos para retirar apenas os metais preciosos, como ouro e prata, presentes nas placas de computadores.

A desmontagem dos equipamentos visa aproveitar as matérias primas. Componentes como metais e plásticos são separados e vendidos à indústria, por preços que variam conforme o vai e vêm das commodities.

Mas o Brasil ainda não tem parque tecnológico para recuperar baterias de celulares e placas de computadores, que são enviados para países como China, Japão, Estados Unidos e Alemanha para serem totalmente reaproveitados.

A operadora de telefonia celular Vivo começou a recolher aparelhos e baterias descartados pelos consumidores há três anos. Conta com 3,4 mil pontos de coleta, mas o volume coletado ainda é pequeno: ao longo deste ano, foram recolhidos 105 mil itens.

Uma empresa nacional, a GM&C, faz o serviço de coleta e desmonte dos aparelhos, mas a recuperação completa dos materiais é feita nos EUA e México. “Ainda não encontramos uma empresa que preste esse serviço de forma certificada no Brasil”, diz Karina Biderman, diretora de responsabilidade socioambiental da Vivo.

Este ano, o País deve vender 12 milhões de computadores, 47 milhões de celulares e 9 milhões de televisores, segundo estimativas da indústria. É difícil calcular o tempo de obsolescência dos equipamentos, mas a iminência de uma lei nacional que obrigue os fabricantes a dar destino à sucata já traz boas perspectivas para as empresas.

Leia mais…

Bookmark and Share

Bookmark and Share

Bookmark and Share