Se você tentou chegar ao fim do ano sem dívidas e não conseguiu, não se sinta só. Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cerca de 62,2% dos brasileiros estão terminando 2013 endividados.

SAIR DO VERMELHO

Por isso, não desanime! Agora é o momento de listar as resoluções de Ano Novo, e quer uma causa mais nobre que encabeçar a lista com um “Sair do Vermelho”? O portal Prestum garimpou nos manuais do Serasa Experian algumas dicas valiosas – divididas em 4 tópicos – para você alcançar o seu objetivo em 2014.
  • Cartas sobre a mesa
Você sabe exatamente qual é o valor da sua dívida? Não tenha medo, coloque todas as faturas sobre a mesa, assim será mais fácil bolar um plano de ação. Se você tem muitas contas a pagar organize uma planilha no Excel e liste todas as dívidas, assim como seus credores, prazos e juros. Calcule qual é a renda mensal familiar e tente separar uma parte para o pagamento das mesmas. Segundo especialistas, enquanto o endividamento estiver abaixo dos 20% da renda mensal está equacionado. Se estiver acima deste percentual comece a agir o quanto antes. Sem deixar que o desespero estrague as suas festas, claro.
  • Firmeza na execução do planejamento 
Saia do cheque especial e busque um empréstimo pessoal, mas antes confirme se os juros e as condições são favoráveis. A mesma dica é dada para quem está com dívida no cartão de crédito. Ou procure um empréstimo familiar. Mantenha sempre uma“ficha limpa” com seus familiares e amigos, pagando rigorosamente em dia seus empréstimos. Essa costuma ser a mais barata fonte de crédito.
  • Trabalho em equipe
Conte com a família para sair do vermelho. Muitos dos nossos hábitos com relação ao dinheiro que temos na vida adulta já vem da orientação que recebemos sobre ele na infância. Por isso, se você tem filhos, faça com que eles participem e entendam a importância de economizar. Trace metas junto com a família, assim todos se empenharão em alcançar os objetivos propostos. Adquira o hábito de comprar à vista e adie a compra enquanto não tiver o dinheiro todo. Praticar a avareza neste caso não é pecado.
  • Renegociação da dívida
Se o corte de despesas supérfluas e todos os outros esforços não forem suficientes, avalie a possibilidade de renegociar sua dívida com a entidade com a qual está em débito. Para as financeiras essa negociação é interessante porque, além de evitar prejuízo, também devolve mais um consumidor ao mercado para que ele possa voltar a comprar a prazo. Muitas instituições fazem campanhas de renegociação com os clientes inadimplentes, inclusive oferecendo descontos, normalmente a partir de outubro, ou seja, nos meses que antecedem o Natal – o melhor período para as vendas no varejo. As financeiras, por exemplo, costumam fazer “promoções” aos clientes endividados, oferecendo descontos nos juros e às vezes até mesmo no valor principal da dívida.
Fonte: Prestum
Bookmark and Share

 

O ano mal começou e muitas pessoas já se vêem com inúmeras despesas, contas e impostos a pagar. Para não se endividar ou perder dinheiro, é fundamental analisar as melhores formas de pagamento. A fim de auxiliar na organização financeira do consumidor, o economista e professor, Jônatas Rodrigues da Silva, faz algumas recomendações.

despesa comeco de ano
Segundo ele, o ideal é pagar as contas de início de ano sempre à vista e com desconto. Evitar atrasos no caso dos tributos, como IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), pois isso pode resultar em multas, algumas com até 20% do valor do tributo. “Caso pague o IPVA à vista, por exemplo, o contribuinte possui desconto de 3%, se o veículo for licenciado no estado de São Paulo”, afirma.

Em relação aos cartões de créditos, adiar o pagamento ou mesmo pagar o valor mínimo é sempre a pior escolha. “O juro cobrado no cartão é o maior do mercado. O mais correto é procurar o banco e fazer um empréstimo pessoal, equacionar as dívidas e passar a pagá-las em dia”, ressalta o economista.

Os gastos com materiais escolares e uniformes também podem pesar no bolso, e, por isso, pesquisar preços, optar pelo pagamento à vista e até mesmo pechinchar são sempre alternativas para os pais que não queiram fugir do orçamento. “O pagamento à vista pode resultar em 10% ou até mais de desconto, o que já é uma boa coisa”, relata Silva.

Para controle de gastos e gerenciamento dos investimentos, o economista recomenda o uso de uma planilha Excel, pois ao visualizar a situação financeira, o consumidor conseguirá prever boa parte das despesas que terá durante o ano e otimizar o uso dos recursos disponíveis.

É o que faz há dois anos o publicitário Eduardo dos Santos, que através da criação de uma planilha de despesas diárias, encontrou maior facilidade de manter o orçamento sob controle. “Eu não tinha nenhum controle sobre as despesas miúdas, como gorjeta, cafés. São gastos aparentemente insignificantes, mas que podem ter grande impacto no orçamento se não forem controlados. Por isso eu adotei o uso da planilha”, declara.

A dica é sempre anotar receitas e despesas e nunca gastar além das receitas. Ter uma reserva de emergências também é interessante, afinal, segundo o economista, emergências sempre acontecem. “Depois que a pessoa passar a controlar os gastos de forma efetiva e formar a reserva de emergência, aí pensar em economizar e investir ao menos 10% da renda líquida. Investir é um hábito a ser cultivado”, finaliza Silva.

Fonte: Primeira Página

Bookmark and Share

O cartão de crédito tem se tornado a cada dia um meio mais popular de pagamento entre os brasileiros. E com o aumento das compras, aumenta também a quantidade de golpes envolvendo Cartões de Crédito. Por isso é importante estar atento! Fique ligado em 7 dicas importantes sobre como se comportar caso você seja vítima de um desses golpes:

  • Caso detecte, na fatura, a presença de compras não realizadas, avise a administradora. O cartão deve ser cancelado e substituído.
  • Informe quais são os débitos não reconhecidos e peça a suspensão da cobrança desses valores. A empresa pode emitir uma nova fatura.
  • Anote o número de protocolo do atendimento feito pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC). Por lei, as empresas têm até 5 dias para solucionar problemas relatados nos SACs.
  • Caso o consumidor só perceba o problema depois que pagou a fatura ou a administradora insista na cobrança indevida sem seu consentimento, os valores pagos a mais devem ser devolvidos em dobro.
  • Caso a fatura seja paga no débito automático e, por causa do valor em excesso, o consumidor pague juros pelo uso de cheque especial, a empresa também deve devolver esse valor em dobro.
  • Mesmo quem não paga os seguros oferecidos pelas administradoras de cartão de crédito tem seus direitos assegurados.
  •  Em caso de compra parcelada, é interessante registrar um Boletim de Ocorrência e comunicar órgãos de proteção ao crédito, como SCPC e Serasa.
Fonte: Uol
Bookmark and Share

Os contribuintes que entregaram a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2013 já podem checar, pela internet, o andamento de sua declaração. A consulta deve ser feita no portal e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte).

É possível verificar, por exemplo, se a declaração tem pendências que pode levá-la à malha fina. Nesse caso, é possível resolver os problemas antes que isso aconteça, enviando uma declaração retificadora. Quanto mais cedo a correção for feita, mais rapidamente a restituição deve ser liberada.

Além disso, o contribuinte que tem imposto a pagar pode conferir, no site, se as quotas do IR estão sendo quitadas corretamente. Pode também pedir, alterar ou cancelar o pagamento das quotas por débito automático; ou identificar e parcelar eventuais débitos em atraso, dentre outros serviços.

Andamento da declaração

O site da Receita classifica a situação da declaração de diversas formas (“em processamento”, “processada”, “em análise” etc.). Veja abaixo o significado desses e de outros termos usados pela Receita:

Em processamento: esse status indica que a declaração foi recebida, encontra-se na base de dados da Receita Federal, mas o processamento não foi concluído. Caso o contribuinte esteja aguardando por uma restituição, terá que esperar até o próximo lote. Se houver alguma pendência, será informada;

Processada: indica que a declaração foi recebida e o processamento encerrado com sucesso;

Em análise: indica que a declaração entregue foi processada e segue em análise por duas razões: a Receita Federal está aguardando o contribuinte apresentar documentos solicitados via intimação ou o processo de análise de documentos entregues pelo contribuinte ainda não foi concluído;

Retificada: indica que a declaração original foi substituída integralmente por uma declaração retificadora apresentada pelo contribuinte;

Cancelada: indica que a declaração foi cancelada por interesse da administração tributária ou pelo próprio contribuinte. Dessa forma, ela deixa de ter seus efeitos legais;

Tratamento manual: o formulário está em análise pela Receita e o contribuinte deve aguardar contato.

Como acessar os serviços da Receita pela internet

Para acompanhar o andamento da declaração e usar os serviços mencionados, basta acessar o Centro Virtual de Atendimento da Receita (e-CAC) e informar seu CPF, código de acesso e senha.

O código de acesso é gerado no próprio site. É preciso ter em mãos o número do CPF e os recibos de entrega da declaração dos dois últimos anos. Com essas informações, é possível acessar o sistema e consultar o extrato detalhado.

Veja a seguir os principais serviços que podem ser consultados no site:

  • Dia e hora de entrega da declaração;
  • Modelo escolhido (completo ou simplificado);
  • Valor do imposto a restituir;
  • Valor das quotas a pagar e o status dos pagamentos;
  • Inclusão, alteração ou cancelamento de débito automático das quotas;
  • Identificação ou parcelamento de eventuais débitos em atraso;
  • Identificação de possíveis pendências que deixaram a declaração em malha fina e saber como resolvê-las, normalmente por meio de retificação da declaração ou de comparecimento à Receita Federal para apresentação de documentação comprobatória.

Caiu na malha fina? Veja o que fazer

Há basicamente duas situações para resolver as pendências de sua declaração de IR, caso você seja pego na malha fina.

1) Erro na declaração ou informações incompletas:

Se a declaração apresenta informações incorretas ou incompletas, o contribuinte deve, o quanto antes, providenciar a retificação do documento, enviando um novo formulário com os dados corrigidos. É possível seguir este procedimento utilizando a retificação online ou utilizando o próprio programa da declaração.

Mas é preciso ficar atento, pois não é possível retificar a declaração após início de procedimento de ofício. Portanto, quanto antes providenciar as correções, melhor.

2) Documento gerou dúvida, mas não há erro

Por outro lado, se a declaração foi retida na malha fina, mas o contribuinte está com tudo em dia e o documento foi preenchido corretamente, basta aguardar o Termo de Intimação ou a Notificação de Lançamento da Receita Federal, ou agendar atendimento para a entrega da documentação comprobatória das informações declaradas.

Vale lembrar que, para as declarações do IR 2013, só é possível agendar atendimento a partir de janeiro de 2014.

Fonte: UOL

Bookmark and Share

O casal que espera a chegada de um filho pode não saber que, nos próximos 21 anos, terá de desembolsar entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão, dependendo de sua condição econômica e disposição para investir no futuro herdeiro. O cálculo, feito pelo professor da ESPM e presidente do Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent), Adriano Maluf Amui, leva em conta gastos básicos com alimentação, educação, saúde e lazer.

Na hora de fazer as contas, é preciso levar em consideração as despesas essenciais, os gastos dispensáveis e, no longo prazo, a necessidade de uma poupança. Para o educador financeiro e presidente da consultoria DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, o ideal é que o custo do filho não ultrapasse 30% da renda média líquida do casal. Do contrário, o padrão de vida pode mudar drasticamente.

Com planejamento, especialistas mostram que é possível fazer um cálculo aproximado das despesas com o filho em cada fase da vida, da gestação à vida adulta. Entram na conta, ainda, os gastos não previstos, como festas de aniversário e passeios. E, se o orçamento apertar, há duas alternativas: fazer dívidas ou rever prioridades com o supérfluo.

DA GESTAÇÃO AOS CINCO ANOS DE IDADE

Confirmada a gravidez, surgem os primeiros gastos. “O casal começa a pensar na decoração do quarto e na compra de roupas, fraldas e itens de higiene”, enumera Domingos, da DSOP. O chá de bebê é a primeira chance para economizar. Os presentes devem ser calculados conforme a quantidade necessária.

Exames de pré-natal costumam ir além do ultrassom. Mesmo que o casal já pague plano de saúde, os hospitais oferecem serviços adicionais, como coleta de sangue do cordão umbilical e exame de audição do bebê, como aponta Amui, da Invent. “Um DVD para entreter os pais, com o ultrassom em 3D do feto, pode custar até R$ 450”.

Mas é quando a criança nasce que as despesas pode ir além do planejado. “Os pais nunca se lembram da festa de aniversário, que pode ter bufê e palhaço, e das festas de amiguinhos, que demandam a compra de presentes”, lembra o presidente da DSOP. Ele orienta que tais gastos podem ser compensados com uma reserva financeira. Se as despesas imprevistas não couberem no bolso, o melhor é optar por alternativas mais baratas, como fazer a festa em casa.

Para o presidente do Invent, brinquedos não precisam ser caros. “O importante é que sejam estimulantes”. Outra forma de economizar, segundo ele, é com as vacinas, que são encontradas na rede pública com facilidade. Comprar muitas roupas, para o profissional, é desnecessário, porque o bebê cresce rápido e elas são descartáveis. Da mesma forma, há gastos importantes e, quase sempre, esquecidos. “Itens de segurança, como telas de proteção para janela, protetores de tomada e travas de gaveta devem entrar na conta”, completa.

Gastos essenciais : Berço, fraldas, roupas, carrinho, exames pré-natal, obstetra, pediatra, remédios, vacinas, mobília do quarto, itens de segurança na casa.

Gastos opcionais : festa em bufê, decoração, babá eletrônica, coleta de sangue do cordão umbilical, presentes de aniversário, brinquedos.

Continue lendo…

Bookmark and Share

A taxa de juros ao consumidor recuou 0,02 ponto percentual em março, atingindo 5,40% ao mês, a menor taxa desde 1995, de acordo com a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Na comparação entre março deste ano e de 2012, houve redução de 0,93 ponto percentual, visto que no terceiro mês do ano passado, a taxa média de juros para a pessoa física estava em 6,33% ao mês.

Selic e juros ao consumidor

De acordo com dados divulgados pela Anefac nesta segunda-feira (15), desde julho de 2011 até março de 2013, a taxa básica de juro reduziu 5,25 pontos percentuais, ao passar de 12,50% ao ano no sétimo mês do ano passado para 7,25% ao ano no terceiro mês de 2013, enquanto os juros ao consumidor apresentaram uma redução de 33,24 pontos percentuais no mesmo período, chegando a 87,97% ao ano no mês passado.

No geral (considerando pessoa física e jurídica), a expectativa é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses, interrompendo uma sequência de quatro reduções consecutivas. Isso porque, explica a Associação, os atuais indicadores apontam para pressões inflacionárias, sendo que o índice oficial da inflação ultrapassou o teto da meta do Banco Central este mês.

Fonte: Info Money

Bookmark and Share

Poupar para a aposentadoria, seja por meio de um plano de previdência privada, seja por conta própria em outras aplicações, exige que o poupador calcule a renda mensal que ele deseja obter.

Para isso, é preciso acumular uma quantia que, aplicada em um produto financeiro, tenha uma rentabilidade realista correspondente a essa renda desejada. Mas o que considerar para estimar a renda?

Bookmark and Share

O teste é, no fundo, uma brincadeira, mas pode trazer reflexões válidas sobre sua vida financeira. Quer tentar?

1 – Perante novas situações e novos desafios, você…

a) Enfrenta, independente dos resultados, pois sabe que conseguirá resolvê-los de uma forma ou de outra

b) Procura saber mais informações sobre ele e, se na avaliação perceber que é de grande dificuldade, não o enfrenta

c) Não gosta de grandes mudanças, teme o novo

2- Para realizar sonhos você…

a) Age por impulso e não pensa em como suas finanças serão afetadas. O que importa é realizá-los

b) Pensa em como alcançá-los, avalia as possibilidades e normalmente realiza-os, mesmo sem planejamento

c) Lista os sonhos de curto, médio e longo prazos, avalia o valor de cada um. Organiza-se financeiramente e não se importa em esperar para realizá-los

3 – Quando vai ao cinema dentro de um shopping…

a) Passa observando as lojas e se atém às promoções, comprando mesmo sem necessidade. Pensa: “Está barato, vou levar!”

b) Chega ao shopping com muita antecedência, passeia por todos os corredores, observa as vitrines e compra tudo o que lhe agrada, sabendo que irá estourar o orçamento. Pensa: “Trabalho muito e mereço!”

c) Chega próximo ao horário da sessão, com o ingresso já comprado e dirige-se ao cinema, seguindo a programação. Pensa: “Será que vou gostar do filme?”

4 – Ao observar seu orçamento mensal…

a) “Orçamento mensal? O que é isso?” Não sabe o quanto gasta com supérfluos e com o que realmente é necessário

b) Sabe que gasta muito com supérfluos, mas prefere ficar no vermelho a abrir mão dos seus prazeres

c) Sempre que precisa fazer algum corte nas despesas sabe exatamente por onde começar: o que é necessário é mantido e o que é supérfluo é reduzido ou eliminado

5 – A frase que mais combina com você é…

a) “Sou das antigas”, o homem é quem deve sustentar a família!

b) Ter e ser o que eu quero só depende de mim, de minha persistência e da minha educação financeira

c) Por mais que eu trabalhe, nunca terei o suficiente para manter a minha família e a mim

6 – Quando você pensa em aumentar sua receita…

a) Procura especializar-se, realizando novos cursos, buscando ascensão profissional ou mesmo uma atividade paralela que gerará mais renda

b) Vai ao departamento pessoal de sua empresa e solicita aumento de salário ou um adiantamento

c) Pede demissão do atual emprego e procura outro emprego que lhe renderá um maior salário

7 – Seu orçamento está comprometido, não há verba disponível e suas amigas a convidam e insistem para que as acompanhe em um passeio:

a) Você aceita, mas solicita a uma das amigas que pague as suas despesas e diz que irá reembolsá-la no próximo mês

b) Você aceita somente se o passeio for num lugar onde não haverá custos, como uma peça de teatro ou show gratuitos, uma exposição ou passeio num parque

c) Você aceita, usa o cartão de crédito como forma de pagamento, mesmo sabendo que não conseguirá quitar o valor total da fatura

8 – Você é uma mulher que:

a) Vive com menos do que ganha, pois é previdente e poupa para realizar seus sonhos, não se importando com o que os outros pensam

b) Gosta de cuidar de sua aparência mesmo que para isso gaste muito mais do que o seu padrão permite

c) Vive o presente, gosta de estar na moda, mas não gasta além do que seu padrão permite

9 – Se você fosse convidada a participar de um programa de TV e precisasse mostrar o seu armário, o que os apresentadores do programa encontrariam?

a) A grande maioria das roupas e sapatos com mais de dez anos. Por ser muito previdente, procura guardar quase tudo o que ganha, pois poderá precisar dessa reserva algum dia

b) Tanto peças da moda, quanto as mais antigas, clássicas, que nunca saem de moda. Gosta de se vestir bem, mas compra somente o que seu orçamento lhe permite

c) A maioria das peças são da moda atual, algumas com pouco ou nenhum uso (até com etiquetas). Quer estar sempre vestida conforme as tendências!

10 – Se uma vidente pudesse ver seu futuro, qual das previsões abaixo seria mais fiel ao seu perfil quando se aposentar?

a) Uma mulher independente financeiramente, que trabalha apenas por prazer, pois suas reservas poupadas permitem que você viva muito bem, mesmo que seja por mais de 100 anos

b) Uma mulher que necessita continuar trabalhando para complementar a aposentadoria, visto que não tem reservas suficientes para manter seu padrão de vida

c) Uma mulher que precisa trabalhar e seu sustento necessita ser complementado por ajuda dos seus familiares, pois não se preocupou em ter reservas financeiras, gastando sempre mais do que ganhou

Para conferir o resultado do teste, basta somar seus pontos:

Leia mais…

Bookmark and Share

O valor pagos pelos brasileiros neste ano em impostos federais, estaduais e municipais desde desde o 1º dia do ano superou nesta quarta-feira (23), por volta da 11h20, a marca de R$ 100 bilhões, segundo o “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
Na comparação com o ano passado, a marca foi registrada com um dia de antecedência, já que em 2012 esse valor só foi alcançado no dia 24 de janeiro.

Em todo o ano de 2012, o valor total pago pelos brasileiros em impostos contabilizado pelo impostômetro chegou a R$ 1,556 trilhão.
Inaugurado em abril de 2005 pela ACSP, em parceria com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPTx), o painel eletrônico que calcula a arrecadação em tempo real está instalado na sede da associação, na Rua Boa Vista, região central da capital paulista.

O total de impostos pagos pelos brasileiros também pode ser acompanhado pela internet na página do “Impostômetro”. Na ferramenta é possível acompanhar quanto o país, os estados e os municípios estão arrecadando em impostos.

Fonte: G1

Bookmark and Share

Comprar presentes de Natal em cima da hora é uma aventura. Não apenas pelos quilómetros infindáveis de trânsito nas zonas comerciais, pelas lojas cheias, pelo estacionamento esgotado, mas principalmente pela dificuldade que é encontrar o presente ideal quando já há muita coisa esgotada.

Para que esta experiência não se torne num pesadelo, o primeiro passo é fazer uma lista com o nome de todas as pessoas a quem vai oferecer presentes e ir pensando no que essa pessoa iria gostar. Se é daqueles que deixam os presentes para a última hora, prepare-se, pois mesmo em crise, irá encontrar os centros comerciais cheios. Confira cinco dicas que vão facilitar-lhe a vida e vão evitar que arruíne a sua conta bancária.

Faça uma lista
Faça uma lista de todos os familiares e amigos que merecem receber um presente. Depois determine quanto dinheiro pode gastar no total, sem comprometer a sua saúde financeira, e, só depois, decida quanto é que vai gastar por cada pessoa que consta na sua lista. Seja qual o valor destinado para pessoa, faça todos os esforços para manter o orçamento inicial e não gaste dinheiro que não tem.

Depois de fazer a lista, imagine o que gostaria de oferecer a cada pessoa e compare preços através da internet. Para isso, utilize sites que comparam preços.

Evite gastar demais
Esta quadra faz com que muitas pessoas se deixem entusiasmar e acabem por gastar mais do que podem. Não vale a pena exceder-se nos gastos com presentes, porque vai falhar a regra número 1: fazer um orçamento de natal e manter-se fiel a ele.

Além disso, está criar falsas expectativas aos seus familiares e amigos. No próximo ano, se não conseguir manter o budget, estes poderão ficar desapontados.

Utilize cartões que o ajudam a poupar
Nesta época natalícia pode também colocar os cartões bancários a favor da sua carteira. Por exemplo, algumas marcas têm cartões de fidelização que permitem acumular pontos que depois são convertidos em diversos tipos de vantagens. Por outro lado, não se que esqueça que existem cartões bancários que permitem o cash-back. Ou seja, os bancos devolvem ao cliente uma pequena percentagem do valor efetuado em compras com este meio de pagamento. Nota ainda para os cartões que permitem o arredondamento para a conta poupança e por fim aos cartões que permitem preparar a reforma.

Vá às compras sozinho
Quem faz compras sozinho tende a gastar menos dinheiro do que aqueles que vão às compras com amigos ou familiares. Um parceiro para as compras poderá ser motivo de distração, mas também o podem pressionar a comprar presentes que não estão na sua lista. Assim, por mais que a companhia lhe saiba bem, prefira sempre ir às compras sozinho.

Este fator é especialmente importante se tiver filhos. As lojas colocam os produtos destinados aos mais pequenos, mesmo ao nível dos seus olhos, o que faz com que estas se sintam atraídas por determinado objeto e corre o risco de ter o seu filho a fazer uma “cena” à frente de todos para ter o brinquedo em causa. Estas situações são fáceis de evitar, por isso deve procurar não fazer compras com os filhos.

Seja criativo
Se o seu orçamento de Natal é tão apertado, que não chega para todas as pessoas que constam na lista, dê asas à imaginação. Se tiver algum talento especial, poderá usá-lo como presente, por exemplo, se tiver jeito para doces, faça umas compotas ou umas bolachas para oferecer, se tiver jeito para as artes manuais, faça um colar.

Se não tiver nenhum talento especial, pode, por exemplo, oferecer um “voucher” caseiro para tomar conta do seu sobrinho enquanto os pais vão jantar fora, oferecer uma limpeza de casa ou pintar uma divisão da casa. Basta ter imaginação.

Fonte: Saldo Positivo

Bookmark and Share